Cidades | Direitos delas

MPMA adere à campanha #Meninaspelaigualdade e #Meninasocupam

No Maranhão, além do Ministério Público, estão previstas parcerias com o Governo do Estado e a Casa da Mulher Brasileira
15/10/2020 às 16h30
MPMA adere à campanha #Meninaspelaigualdade e #MeninasocupamCampanha da Plan Internacional (Divulgação)

São Luís - Durante a apresentação do webnário “Gestar, nascer, crescer: do plano nacional ao marco legal da primeira infância”, realizado de forma virtual, na tarde desta terça-feira, 13, o Ministério Público do Maranhão aderiu à campanha #Meninaspelaigualdade e ao movimento #Meninasocupam, da organização não governamental Plan International. Este é o segundo ano que a instituição participa da campanha e promove ações em favor do movimento.

No início da apresentação da atividade, a promotora de justiça Karla Adriana Vieira, diretora da Escola Superior do Ministério Público do Maranhão, concedeu simbólica e temporariamente o cargo de direção da ESMP, à jovem Júlia Rebeca, 17, integrante dos projetos da ONG e ativista dos direitos das meninas. “Buscando dar mais um passo na efetivação de direitos de crianças e adolescentes, por meio da disponibilização de espaços de fala, nos quais elas possam assumir o protagonismo que lhes é merecido, a ESMP, a convite da Plan International, aderiu a esta campanha”, ressaltou a promotora de justiça.

A campanha #Meninaspelaigualdade é alusiva ao Dia Internacional da Menina, comemorado em 11 de outubro, instituído pela Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), em 2011, para reconhecer os direitos das meninas e os desafios únicos que enfrentam em todo o mundo.

No Brasil, a campanha, cuja finalidade de lutar por poder, liberdade e representação para meninas e jovens mulheres, conta com a parceria de outros Ministérios Públicos estaduais. Durante este período, a #Meninaspelaigualdade promove diversas atividades no Brasil e em outros países.

Ocupação
Já o movimento #Meninasocupam é um desdobramento da campanha e objetiva engajar a sociedade em geral e instituições, em ações que promovam o potencial e o talento das meninas e que reduzam suas vulnerabilidades.

Este ano, por causa da pandemia, todos as ocupações estão ocorrendo de forma virtual. Durante todo o mês de outubro, meninas vão realizar ocupações online em instituições públicas e privadas para exigir um mundo mais justo para elas.

O gesto simbólico tem como objetivo criar oportunidades significativas para ilustrar o direito de todas as meninas de acessar as mesmas oportunidades que meninos e adultos.

Em 2020, o foco do movimento é o combate ao assédio às meninas nas redes sociais. No ano passado, foram 107 ocupações no Brasil e mais de 500 em toda a América Latina.

Até o momento, a Plan International Brasil tem cerca de 30 ocupações programadas. No Maranhão, além do Ministério Público, estão previstas parcerias com o Governo do Estado e a Casa da Mulher Brasileira.

Sobre a oportunidade de exercer a função de diretora da ESMP por um dia, Júlia Rebeca comentou: “Este movimento é referente ao Dia da Menina, no qual a gente é incentivada a ocupar espaços de liderança. Fico muito feliz por esta oportunidade, de ter um lugar de fala aqui. Precisamos mostrar a nossa potência, todo o poder que as meninas têm”, declarou.

Neste mês, uma nova ação, fruto da parceria do MPMA para o movimento #Meninasocupam, está prevista. Jovens garotas, ativistas da Plan International, vão participar das redes sociais do Ministério Público do Maranhão, por meio de um vídeo, em mais uma atividade para ocupar de espaços de liderança.

O procurador-geral de justiça, Eduardo Nicolau, e a diretora da ESMP, Karla Adriana Farias, também vão gravar um depoimento sobre a importância da campanha #Meninaspelaigualdade e do movimento #Meninasocupam.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte