Geral | Prevenção

Início do tratamento do câncer de mama no SUS está mais ágil

Ministério da Saúde lança campanha para reforçar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce
08/10/2020 às 08h54
Início do tratamento do câncer de mama no SUS está mais ágilLançamento da campanha (Foto: Clarice Castro/MMFDH)

BRASÍLIA- Com o slogan “Cuidado com as mamas, carinho com seu corpo”, o Ministério da Saúde lançou, nesta quarta-feira (07/10), a campanha do Outubro Rosa de 2020. A ação busca conscientizar as mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Mesmo com a pandemia da Covid-19, o Sistema Único de Saúde (SUS) continuou com o atendimento e a oferta de tratamento adequado às pacientes.

O evento contou com a presença do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, da primeira-dama Michelle Bolsonaro, da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, além do secretário de Atenção Primária à Saúde (SAPS), Raphael Parente, e do secretário da Atenção Especializada à Saúde (SAES), Luiz Otávio Franco Duarte.

Nos últimos anos, a pasta tem trabalhado com a população feminina sobre a importância de “estar alerta” a qualquer alteração suspeita nas mamas, assim como desenvolve ações com gestores e profissionais de saúde sobre a prioridade do rápido encaminhamento para início do tratamento adequado.

O início do tratamento do câncer de mama para pacientes que procuram atendimento no SUS está mais ágil. Dados de janeiro e julho de 2020 mostram que, em 99,57% dos casos atendidos, o tempo entre o diagnóstico e o tratamento do carcinoma in situ, estágio inicial do câncer de mama, foi de até 30 dias. No mesmo período de 2019, isso aconteceu em 99,16% dos casos. Em 75,54% dos atendimentos, o tempo de até 60 dias entre o diagnóstico e o tratamento em todos os estágios do câncer de mama no SUS foi respeitado. A produção de mamografias no SUS de janeiro a julho deste ano foi de 1.132.237.

Lançamento

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, destacou, durante o evento, a necessidade de as mulheres obterem informações para que reconheçam os sinais da doença. “Nossos agentes de saúde precisam estar capacitados para recebê-las. Quero ressaltar também os voluntários que trazem conforto e acalento aos pacientes, fazem redes de apoio que contribuem com a saúde das mulheres”, concluiu.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, falou sobre a importância do diagnóstico precoce. “Quando mais cedo tratar mais chance de curar. O ministério recomenda o rastreamento entre 50 e 69 anos, mas todas as outras idades são importantes. O SUS garante assistência integral a todos esses pacientes”, disse. Pazuello também afirmou que o desafio do SUS, agora, é atender a demanda que não foi possível neste ano.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, destacou a importância do movimento em prol da saúde das mulheres. “Que não seja só Outubro Rosa, que todos os dias sejam rosa. Digo para todas as mulheres que estão passando por essa situação: fique firme. Aqui tem um Ministério da Saúde com grandes especialistas pensando todo o dia em vocês”, enfatizou Damares.

Após a cerimônia, as autoridades participaram de um ato simbólico de soltura de balões na cor rosa em frente ao prédio do Ministério da Saúde, em Brasília (DF).

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte