Geral | Outubro Rosa

Campanha alerta para importância da detecção precoce do câncer de mama

Mesmo com a pandemia da Covid-19, o Sistema Único de Saúde (SUS) continuou com o atendimento e a oferta de tratamento adequado às pacientes diagnosticadas com câncer de mama
08/10/2020 às 17h30
Campanha alerta para importância da detecção precoce do câncer de mamaCampanha nacional foi lançada na quarta-feira (Divulgação)

Brasília - Ao longo de todo o mês, a campanha do Outubro Rosa de 2020 alertará para a importância da detecção precoce do câncer de mama e para a prevenção da doença. O lançamento da iniciativa ocorreu, nesta quarta-feira (7), no Ministério da Saúde, em Brasília (DF).

Durante a solenidade, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, reforçou a importância do diagnóstico precoce. "Quanto mais cedo procurarmos o médico com sintomas de câncer de mama, ou outros cânceres, mais cedo começamos a tratar e temos mais chances de ficar bom", disse.

A ministra Damares Alvesdo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), também chamou a atenção para o início dos cuidados que devem ser tomados desde cedo. "Meninas e jovens não podem ficar fora do Outubro Rosa. O meu recado é para ter carinho com o seu corpo, cuidar da mama na juventude. Câncer não tem idade", afirmou a ministra.

Após a cerimônia, as autoridades participaram de um ato simbólico de soltura de balões cor de rosa em frente ao prédio do Ministério da Saúde.

Dados
De acordo com o Ministério da Saúde, mesmo com a pandemia da Covid-19, o Sistema Único de Saúde (SUS) continuou com o atendimento e a oferta de tratamento adequado às pacientes diagnosticadas com câncer de mama. O início do tratamento daquelas que procuram o SUS está mais ágil.

Os dados da Saúde mostram que, de janeiro a julho de 2020, em 99,57% dos casos atendidos o tempo entre o diagnóstico e o tratamento de estágio inicial do câncer de mama foi de até 30 dias. No mesmo período de 2019, isso ocorreu em 99,16% dos casos.

Em 75,54% dos atendimentos, o tempo de até 60 dias entre o diagnóstico e o tratamento em todos os estágios do câncer de mama no SUS foi respeitado. A quantidade de mamografias realizadas no SUS, entre janeiro e julho deste ano, foi de 1.132.237.

Nos últimos anos, a pasta tem trabalhado com a população feminina sobre a importância de "estar alerta" a qualquer alteração suspeita nas mamas. Também tem desenvolvido ações com gestores e profissionais de saúde sobre a prioridade do rápido encaminhamento para início do tratamento adequado.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte