Política | Entrevista

Sabatina O Estado/Imirante: Hertz Dias propõe criar conselhos populares

Candidato do PSTU foi entrevistado por Carla Lima, Thiago Bastos e Linhares Júnior durante o programa Sabatina
Ronaldo Rocha da editoria de Política07/10/2020 às 11h09
Sabatina O Estado/Imirante: Hertz Dias propõe criar conselhos populares

O candidato a prefeito de São Luís pelo PSTU, Hertz Dias, foi o primeiro entrevistado do Programa Sabatina O Estado/Imirante.

Ele foi sabatinado pelos jornalistas Carla Lima, editora de Política de O Estado; Thiago Bastos e José Linhares Júnior, repórteres de Política de O Estado.

Durante a entrevista, Hertz Dias defendeu a instituição de conselhos populares, num eventual governo do PSTU, para que o cidadão participe efetivamente das decisões do Poder Executivo.

"O cidadão pode participar das decisões do município e nós precisamos mudar esse sistema massacrante para a classe trabalhadora que aí está", disse o candidato.

Ao todo, foram quatro temas sorteados durante a sabatina: Mobilidade Urbana, Administração, Saneamento Básico e Segurança Pública.

Em todos os temas, Hertz defendeu a criação de conselhos, com legitimidade para atuar no Município.

Corrupção

Hertz também fez uma acusação grave em relação à composição do Legislativo Municipal. Ele não citou nomes, mas assegurou que boa parte dos vereadores eleitos na capital, se utilizaram da compra de votos ou de um falso discurso.

"Vocês acreditam que não estão comprando votos na periferia? Se elegem a maioria deles com a compra de votos ou mentido", disse.

Taxação

O candidato do PSTU também defendeu a taxação de 40% sobre os grandes empresários que atuam no Maranhão.

Ele também defendeu o fim de isenção de impostos a grandes empresários e a instituição da "tarifa social" para o cidadão.

No formato da tarifa social, o empresariado é quem subsidiaria o transporte público e o usuário do sistema ficaria isento da passagem de ônibus.

O candidato também falou sobre a violência no Maranhão e na capital, apontou uma "Ideologia de naturalização das mortes" no país, no que diz respeito ao enfrentamento da pandemia do Coronavírus e disse que o estado é um dos mais desiguais do Brasil.

"Criaram ideologias para a nossa sociedade que fazem parecer que qualquer medida que beneficie o trabalhador seja encarada como radical demais", finalizou

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte