Cidades | Ataques

Ciclistas viram alvo de ações criminosas na Grande Ilha

Ataques criminosos têm sido mais frequentes na área da Lagoa da Jansen, Ponta d'Areia e Estrada de Ribamar; ciclistas devem ficar atentos e, em caso de assaltos, registrarem ocorrência para ação policial
Ismael Araújo / O Estado30/09/2020 às 00h01
Passeios noturnos são os mais visados por criminosos

SÃO LUÍS - Com a flexibilização no atual período da pandemia do novo coronavírus, a prática do ciclismo cresceu na Grande Ilha, principalmente por garantir o distanciamento entre os praticantes e ser realizada ao ar livre. Também se tornaram mais frequentes os casos de roubo de bicicletas. Dados do Cadastro Nacional de Bicicletas Roubadas mostram que, por ano, mais de duas mil bikes são roubadas ou furtadas no país.

Na Região Metropolitana de São Luís, um grupo de ciclista foi alvo de criminosos ainda na primeira semana deste mês. A ação aconteceu na Estrada de Ribamar (MA-201), no trecho que passa pela cidade de Paço do Lumiar. A polícia informou que os bandidos, após terem assaltado uma van, atacaram os ciclistas e levaram objetos de valor e uma das bicicletas. Os criminosos agiram com muita violência e uma das vítimas ficou ferida.

Outra empreitada criminosa, que teve como vítima ciclista, ocorreu durante a noite do dia 22 de julho deste ano, na região da Ponta d’Areia. Toda a ação ilegal foi filmada pelas câmeras do circuito de videomonitoramento. As imagens mostram a vítima sendo empurrada e a sua bicicleta sendo levada pelos bandidos.

A engenheira ambiental Monalisa Santos, de 27 anos, faz parte de um grupo de ciclistas. Ela disse que a prática de ciclismo, geralmente, é realizada no período da noite, com a presença de mais de 50 participantes e recebendo o apoio de uma van e até mesmo de agentes da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT).

Monalisa Santos ainda ressaltou que é perigoso pedalar em companhia de poucas pessoas pelas ruas da cidade, pela possibilidade de ser assaltado. Recentemente estavam ocorrendo vários ataques a ciclistas na área da Lagoa da Jansen, na Península da Ponta d’Areia e na Estrada de Ribamar.

A polícia informou que durante o primeiro semestre deste ano, oito bicicletas foram roubadas na área da Lagoa da Jansen e o policiamento foi reforçado, para garantir a segurança dos frequentadores e, principalmente, das pessoas que aproveitam esse espaço para exercer a prática de atividades físicas.

Alto valor
A bicicleta se tornou alvo dos bandidos devido seu valor comercial. O preço de uma bicicleta para passeio varia R$ 2.500,00 até R$ 18.000,00. Muitos ciclistas também compram acessórios como luvas, capacetes e roupas apropriadas, que também têm valor alto.

A polícia orienta aos ciclistas, que são vítimas de assalto, que façam o registro de boletim de ocorrência em uma delegacia mais próxima onde ocorreu a ação criminosa, pois assim, além de subsidiar ações de melhorias de segurança, facilita o trabalho policial, inclusive, na identificação do criminoso.

Outra recomendação policial é que a pessoa, ao comprar uma bicicleta usada, possa verificar sua procedência. Uma forma de garantir isso é exigir a nota fiscal da compra, para constatar se o produto não tem procedência ilegal.

Vitima de latrocínio

Latrocínio

No dia 19 de março deste ano, foi preso em São José de Ribamar, um homem suspeito de latrocínio (roubo seguido de morte). Segundo a polícia, na noite do dia 21 de dezembro do ano passado, ele é suspeito de ter abordado um grupo de ciclista, na Estrada de Ribamar.

Além de levar uma bicicleta e celulares, ele ainda matou a tiros o ciclista Raimundo da Silva Brandão, conhecido como Raimundo do Pedal. O caso estava sendo investigado pela equipe da Superintendência de Homicídio e Proteção a Pessoas (SHPP) e o detido foi encaminhado para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte