Alternativo | Curtas

Série "Crônicas da Pandemia" é retrato de um novo mundo

Com criação e direção de André Gustavo, roteiro de Guto Portugal e atuações de Elisa Volpatto e Cecília Audi o projeto reúne quatro episódios
15/09/2020 às 11h09
Série "Crônicas da Pandemia" é retrato de um novo mundo série de curtas que foi produzida de forma independente e a distância (Divulgação)

São Paulo, setembro de 2020 - Em um período onde o isolamento social ainda se faz necessário, Andre Gustavo encontrou na paralisação do mercado audiovisual, a oportunidade de produzir uma série de curtas, sem a premissa de sets de filmagem cheios. O diretor da O2 Filmes, em parceria com a diretora Ale Pellegrino e artistas da TV e cinema, deram vida ao projeto "Crônicas da Pandemia". Com um total de quatro episódios, a série de curtas que foi produzida de forma independente e a distância, tem a sua estreia marcada para o dia 14 de setembro, todos os episódios serão publicados nas plataformas da O2 Filmes .

Com narrativas que levam os espectadores a reflexões sobre a fragilidade humana, "Crônicas Da Pandemia", é um convite para os expectadores conhecerem cada um dos personagens que vivem em um novo mundo, onde um vírus invisível ao olho nu amedronta e paralisa o planeta, mudando a forma de convivência social e a economia que conhecíamos até então. O primeiro curta intitulado de "E Se Fossem Crianças", traz no elenco as atrizes Elisa Volpatto como Luiza e Cecília Audi como a psicóloga.

"A nossa ideia vai além de produzir um conteúdo que as pessoas vejam de forma rápida, criamos não somente profundidade no nosso texto, como também usamos desse momento para trazer uma nova perspectiva para forma de se produzir. Tivemos então a ideia de criar o Dogma 20, uma cartilha que apresenta algumas premissas para se produzir conteúdo ficcional, cinematográfico, , na tela vertical porque o projeto tinha essa vocação, como as que usamos para produzir as crônicas" comenta André Gustavo, diretor do projeto

As filmagens foram feitas nas casas dos atores, aproveitando a cenografia já existentes no ambiente de cada um. Todas as filmagens, foram feitas a partir dos próprios celulares dos atores. O diretor trabalhou à distância, usando dispositivos como Zoom e TeamViewer, por exemplo, para dar suporte na orientação dos atores.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte