Política | Depois de 12 anos

São Luís volta a ter eleição sem candidata a prefeita

Último pleito sem a presença de mulher como candidata a prefeita foi em 2008, quando João Castelo derrotou o hoje governador Flávio Dino
Ronaldo Rocha15/09/2020
São Luís volta a ter eleição sem candidata a prefeitaEliziane Gama foi uma das candidatas em 2016 (Reprodução)

SÃO LUÍS - Depois de exatos 12 anos, São Luís voltará a registrar um pleito na disputa pelo Executivo Municipal sem a representatividade da figura feminina. Em 2008, quando o ex-senador e ex-governador do Maranhão, João Castelo, foi eleito no segundo turno sobre o hoje governador Flávio Dino, havia sido a última vez que esse tipo de cenário se consolidava na capital. Naquele pleito foram 11 candidaturas registradas. Nenhuma feminina.

Em números mais absolutos, numa busca histórica de dados feita por O Estado, de 1992 a 2016 – última eleição municipal realizada pela Justiça Eleitoral -, a ausência de mulheres na disputa pela Prefeitura de São Luís somente ocorreu em 2008. Ou seja, em 28 anos, essa será a segunda eleição sem candidatura feminina na capital.

No atual cenário, figuram como candidatos a prefeito de São Luís: Adriano Sarney (PV); Eduardo Braide (Podemos); Duarte Júnior (Republicanos); Neto Evangelista (DEM); Rubens Júnior (PCdoB); Jeisael Marx (Rede); Franklin Douglas (PSOL); Hertz Dias (PSTU), Carlos Madeira (Solidariedade), Yglésio Moyses (PROS) e Bira do Pindaré (PSB).

A única mulher que chegou a lançar pré-candidatura foi a deputada estadual Detinha (PL). Ela, contudo, abriu mão da disputa majoritária e o PL aderiu à pré-candidatura de Duarte Júnior, num movimento capitaneado pelo seu esposo, o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL).

Fora do cenário - Presente nas duas últimas eleições como candidata a prefeita, a senadora Eliziane Gama (Cidadania) sequer demonstrou interesse em participar do pleito.

Em 2018, logo depois de ter sido eleita para o Senado, ela chegou a admitir a possibilidade de não disputar pela terceira vez consecutiva a eleição majoritária na capital.

Naquela ocasião, ela justificou que o objetivo único era dedicar-se ao mandato no Congresso Nacional.

Abriu mão - A ex-governadora Roseana Sarney chegou a ter seu nome defendido publicamente pela direção do MDB para lançar pré-candidatura na capital.

Apesar disso, ela rejeitou a proposta e optou por participar ativamente das discussões em relação aos rumos do partido político na capital e no Maranhão.

O MDB assegurou apoio ao pré-candidato Neto Evangelista, após uma articulação junto ao comando nacional do partido. Roseana Sarney foi quem anunciou a decisão da legenda em seu perfil em rede social.

De 1985 a 2020, num espaço de 35 anos, apenas duas mulheres foram eleitas prefeita de São Luís. Tratam-se de Gardênia Castelo, em 1985 e Conceição Andrade, em 1992. Gardênia, do PDS, derrotou Jaime Santana, do PFL no segundo turno. Já Conceição Andrade, do PSB, derrotou naquele ano, João Alberto, do PFL.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte