Alternativo | Live

Para falar sobre história da mulher

Escritora e historiadora Mary del Priore participa de live comemorativa dos três anos da 2ª Vara da Mulher
11/09/2020

São Luís - e resistentes a guerreira: uma história da mulher no Brasil” é o título da palestra que a escritora e historiadora Mary Del Priore ministrará hoje, às 17h, pelo YouTube (uemanetoficial). O evento ocorre em comemoração dos três anos de instalação da 2ª Vara de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de São Luís.
m mais de 50 livros lançados – dentre esses 37 de história - Mary Del Priore publicou obras como “Histórias e Conversa de Mulher”, que revela como evoluiu e se revolucionou a vida das brasileiras, dos tempos da colônia portuguesa aos dias atuais; “Corpo a Corpo com a Mulher”, que mostra as transformações ocorridas no corpo feminino ao longo da nossa história e “História das Mulheres no Brasil”, do período colonial aos dias atuais; entre outros.
A palestra será mediada pela juíza Lúcia Helena Barros Heluy, titular da 2ª Vara da Mulher, com a participação das professoras Marize Helena de Campos, professora do programa de Mestrado Profissional em Ensino de História (UFMA) e Tatiana Reis, do curso de História e do programa em Pós-Graduação em História (Uema).
Apoiam a iniciativa o Tribunal de Justiça do Maranhão, por meio da Cemulher, Corregedoria Geral da Justiça, Escola da Magistratura do Maranhão (Esmam), UFMA e Uema.
A juíza Lúcia Helena Heluy responde pela unidade desde a sua instalação, há três anos. Para ela, o Poder Judiciário, em articulação com os demais órgãos do sistema de Justiça e da rede amiga da mulher, tem agido de forma emergencial nos casos de violência contra as mulheres, efetivando as Medidas Protetivas de Urgência, previstas na Lei Maria da Penha. “Sabemos que a violência doméstica tem origem e construção histórica. Precisamos saber que poder é esse que insiste em colocar as mulheres em lugar de submissão social e cultural. Vamos buscar na Historiografia conhecimentos sobre a melhor forma de compreender e enfrentar a violência contra as mulheres”, ressalta.
Na opinião da professora Marize Campos, a palestra é importante "para que se possa entender a nossa história, de mulher, feminina, o lugar que sempre quiseram nos colocar, os discursos para legitimar esse lugar, lugar de subalternidade”. Para a professora Tatiana Reis, “a violência tem sido utilizada historicamente como mecanismo de controle e dominação, especialmente nas relações de gênero”.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

Assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte