Polícia | Criminalidade

Setembro começa com quatro mortes violentas na Grande Ilha

Uma das vítimas foi um adolescente, de 15 anos, e o crime ocorreu na Vila Luizão, enquanto, os outros casos foram no Cruzeiro de Santa Bárbara, Ipase de Cima e Cidade Olímpica
05/09/2020
Setembro começa com quatro mortes violentas na Grande IlhaMototaxista Antônio Francisco Nunes Castro, de 39 anos, morto em São Luís (Divulgação)

SÃO LUÍS - O mês de setembro começou com quatro mortes violentas na Região Metropolitana de São Luís. Um dos casos ocorreu durante a madrugada de sexta-feira, 4, no bairro Cruzeiro de Santa Bárbara e teve como vítima Paulo Victor Carvalho, de 19 anos. Em poder dele, a polícia apreendeu uma espingarda.

A polícia informou que recebeu uma denúncia que havia cerca de dez “faccionados” instalando o terror durante o período da noite de quinta-feira, 3, na região da Santa Bárbara, principalmente realizando assaltos. Guarnições da Polícia Militar foram deslocadas para essa localidade e somente na madrugada de sexta-feira conseguiram localizar os criminosos.

Ainda segundo a polícia, os militares foram recebidos a tiros pelos integrantes de facção criminosa. Houve confronto. Uma das balas atingiu Paulo Victor e morreu antes de ser submetido a tratamento cirúrgico no Socorrão II, localizado na área da Cidade Operária. Com ele, os policiais apreenderam uma espingarda e munições deflagradas.

Ainda durante o cerco policial, os militares prendeu Josué Marques de Araújo, de 19 anos, e foi conduzido para o Plantão de Polícia Civil da Cidade Operária onde tomaram as devidas providências. Enquanto, os outros faccionados conseguiram fugir para uma área de matagal, no Cruzeiro de Santa Bárbara.

Briga de vizinho

Uma briga de vizinho ocorrida no decorrer da noite de quinta-feira, 3, na Cidade Olímpica, resultou na morte de Nivaldo dos Santos Mesquita, de 32 anos, como ficou gravemente ferido Francisco Gomes Silva, de 41 anos.

A polícia informou que eles tinham uma rixa antiga e ontem acabaram discutindo em plena via pública na presença de populares. Durante a briga, Nivaldo Mesquita teria desferido um golpe de faca no tórax do vizinho.

Em seguida, Francisco Silva mesmo ferido conseguiu golpear o abdômen de Nivaldo Mesquita. Eles foram levados pela ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Socorrão II onde Nivaldo Mesquita veio a falecer. Enquanto, o outro ferido passou por tratamento cirúrgico e até o período da tarde não tinha tido alta médica.

Assassinato de mototaxista

A equipe da Superintendência de Homicídio e Proteção a Pessoas (SHPP) continua investigando a morte do mototaxista Antônio Francisco Nunes Castro, de 39 anos. A polícia informou que a vítima foi encontrada baleada na cabeça em uma área de matagal, localizada no bairro Ipase de Cima, área do Bequimão, na madrugada do último dia 3.

Ele foi socorrido pelos socorristas do Samu e levado para o Hospital Municipal Socorrão I, no Centro, mas, após o procedimento cirúrgico acabou falecendo. Ainda de acordo com a polícia, a vítima residia com uma irmã, nome não revelado, no bairro da Vila Embratel.

A Polícia Civil também está investigando o assassinato de um adolescente, de 15 anos, ocorrido na noite de terça-feira, 1, na Vila Luizão. Há informações que esse crime tenha sido cometido por integrantes de uma facção criminosa que atua nessa localidade.

Outras ocorrências

A polícia ainda não conseguiu prender os acusados de terem assassinado Antônio da Silva Machado, de 84 anos. De acordo com a polícia, o idoso teve a sua residência, localizada no bairro Teso, em Caxias, invadida por criminosos e morto a tiros no decorrer da noite do último dia 3.

O delegado Alcides Martins declarou que a vítima foi baleada na região cervical e no braço esquerdo. “Aparentemente o idoso foi vítima de latrocínio, mas, estamos investigando o caso, inclusive, coletando provas materiais”, explicou Alcides Martins.

Os policiais também estão trabalhando para identificar uma ossada humana, que foi encontrada em uma área de matagal, nas proximidades de um balneário, em Caxias, no último dia 3. Os bombeiros militares que acharam a ossada e estavam no local combatendo um incêndio. “Há possibilidade que esses ossos sejam de uma pessoa que morreu há um tempo e serão periciados no IML”, frisou o delegado.

Número

4 mortes violentas ocorreram no começo deste mês na Ilha

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte