Desarticulação

PF queima 350 mil pés de maconha e apreende 700 kg da droga em ação

Operação Muçambê III, segundo a Polícia Federal, evitou que mais de 150 toneladas do entorpecente chegassem nas mãos de traficantes

ISMAEL ARAÚJO Da editoria de Polícia

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h19
Na operação, trezentos e cinquenta mil pés de maconha foram queimados
Na operação, trezentos e cinquenta mil pés de maconha foram queimados (PF queimada)

São Luís - Trezentos e cinquenta mil pés de maconha foram destruídos como ainda houve a apreensão de 700 quilos dessa droga durante a Operação Muçambê III. Este cerco foi realizado pela Polícia Federal (PF) durante os dias 27 de julho a 7 de agosto deste ano, na divisão entre o Maranhão e o Pará. Segundo a polícia, esse trabalho operacional evitou que cerca de 150 toneladas desse entorpecente chegassem nas mãos de traficantes.

Ainda de acordo com a PF, essa operação teve como um dos objetivos de erradicar cultivos de maconha (Cannabis Sativa) e foi realizada no decorrer de 12 dias. Além de policiais federais, também participaram desse cerco bombeiros militares, policiais militares e o helicóptero do Centro Tático Aéreo (CTA).

As incursões se concentraram nos limites da Reserva Biológica do Gurupi com a Reserva Indígena do Caru, nas cidades de Buriticupu e Alto Alegre do Pindaré, como ainda na Terra Indígena Alto Turiaçu, nos municípios de Maracaçumé, Centro do Guilherme, Centro Novo do Maranhão e Cachoeira do Piriá, no estado paraense.

Apreensões

Durante o cerco, os policiais conseguiram localizar 97 plantações de maconha em uma área de difícil acesso de 145 mil metros quadrados. Foram erradicados mais de 350 mil pés de maconha, 60 mil mudas e ainda apreendidos cerca de 700 quilos dessa droga pronta para o consumo.

A PF informou que a operação evitou entrar no mercado mais de 150 toneladas de maconha e sendo considerada como uma das maiores apreensões de droga dos últimos 13 anos no Maranhão. O nome da Operação Muçambê faz referência a um pequeno arbusto da família das Caparidáceas provido de espinhos nos pecíolos das folhas, ocorrendo nas caatingas dos estados do nordeste.

Outras etapas

Entre os meses de fevereiro a junho deste ano, a Polícia Federal realizou as Operações I e II e sendo concentradas no Polígono da Maconha de Pernambuco, no sertão nordestino. Segundo a polícia, essa área compreende as cidades de Salgueiro, Cabrobó, Sertânia, Floresta, Belém de São Francisco e Afogados da Ingazeira. A droga que sai desta região abastece todo o Nordeste.

A primeira etapa teve sete datas e erradicou 102.718 pés de maconha, entre os dias 4 e 17 de fevereiro, além de 30.015 mudas e 1.123 kg de maconha pronta. Enquanto, na segunda etapa, realizada em 21 datas entre os dias 31 de março e 5 de junho, foram 295.647 pés, 34.270 mudas e 797,1 kg da droga pronta.l

Saiba mais

A Polícia Civil realizou durante os dias 3 a 7 de agosto a Operação Arrest na área Leste da Capital e conseguiu prender cinco criminosos suspeitos de roubo, tráfico de droga, associação criminosa e violência sexual.

Números

350 mil pés de maconha destruídos pela Polícia Federal

700 quilos de maconha apreendidos durante a Operação Muçambê III

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.