Alternativo | Celebração ao poeta

Revisitando Nauro Machado

Poeta maranhense que se fosse vivo celebraria aniversário neste dia 2 de agosto, é lembrado pela robustez de sua obra poética atemporal
José Mario da Silva* Especial para O Estado 01/08/2020

SÃO LUÍS- Quando cursava mestrado em Literatura Brasileira na Universidade Federal da Paraíba, pela instrumentalidade da profícua docência do mestre Hildeberto Barbosa Filho, fui apresentado à estranha e fascinantemente sedutora, poesia de Nauro Machado, poeta que, tendo iniciado o seu percurso lírico em 1958 com a publicação de “Campo sem Base”, construiu, ao longo de mais de 70 anos de ininterrupta atividade criadora, uma das mais sólidas produções no multifacetado território da poesia brasileira contemporânea.

Estamos vivendo uma situação onde o senso de coletividade, a prevenção e conscientização são fundamentais. Em momentos como esse, a informação não tem preço. Por esse motivo o jornal O Estado está liberando o acesso gratuito a todo o seu conteúdo. Fique em casa e bem informado. Leia O Estado.

Já tenho cadastro

entrar

Ainda não tenho cadastro

Cadastre-se

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte