Geral | Crise da Covid-19

Saúde mental e bem-estar pioram para 37% dos profissionais

Atividade física, meditação e terapia online são principais recursos utilizados para minimizar o impacto negativo da pandemia, de acordo com pesquisa da Robert Half
27/07/2020 às 15h21
Saúde mental e bem-estar pioram para 37% dos profissionais 37% dos profissionais notaram piora na saúde mental e bem-estar (Divulgação)

São Paulo - O trabalho remoto forçado em função da pandemia da Covid-19 tem gerado muitos benefícios para os profissionais, como o fim da necessidade de deslocamento, a melhora de qualidade de vida e o aumento do tempo com familiares. Por outro lado, de acordo com os dados da 12ª edição do Índice de Confiança da Robert Half (ICRH), 37% dos profissionais notaram piora na saúde mental e bem-estar durante o período da quarentena, enquanto outros 33% não perceberam diferença e os demais (11%) sentiram uma melhora.

Para minimizar os efeitos da pandemia na saúde mental e bem-estar, 53% dos profissionais têm buscado alternativas online. A atividade física aparece como a principal (70%), seguida por meditação e mindfulness (25%) e terapia on-line (22%).

Em relação às iniciativas das empresas para apoiar os colaboradores neste sentido, outro estudo da Robert Half, O Impacto da Covid-19 nos Negócios, mostra que as principais medidas apontadas pelos executivos entrevistados foram:

1º - O uso de videoconferência para permitir que a alta administração transmita empatia e confiança aos funcionários.

2º - Desencorajar ou limitar horas extras para que os colaboradores possam manter um bom gerenciamento da vida pessoal-profissional.

3º - Benefícios para a saúde física e mental (por exemplo: bem-estar no local de trabalho, parcerias com academias ou academia própria, aulas de yoga, programas de mindfulness e resiliência).

4º - Oferecer oportunidades adicionais de treinamento voltadas ao desenvolvimento pessoal ou profissional.

5º- Oferecer aconselhamento confidencial.

"Naturalmente, a principal preocupação de muitos empresários e gestores é a reabertura. O cronograma e o escopo para que a força de trabalho volte ao escritório pode variar drasticamente de empresa para empresa. O importante é lembrar que, em todos os casos, não será apenas uma questão de abrir as portas e deixar todos retornarem. Uma abordagem cuidadosa e planejada para garantir a saúde, a segurança e o bem-estar de todos é o que fará a diferença neste momento e pode colaborar para aumentar a motivação e a lealdade dos colaboradores", aponta a empresa Robert Half.


Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte