Política | Eleições 2020

"Campo apoiado pelo Palácio não é esquerda", diz Arcangeli

Pré-candidato do PSTU diz que siglas ligadas ao Governo Dino, que se definem como defensoras dos trabalhadores, estão atreladas ao "sistema capitalista"
Thiago Bastos/ Da editoria de Política16/07/2020


O pré-candidato a prefeito de São Luís, Saulo Arcangeli (PSTU), em entrevista à O Estado, disse que os partidos componentes atualmente da base de apoio do Governo do Maranhão, como PDT e PCdoB, por exemplo, estão atrelados mais aos interesses capitalistas e menos aos ideais da esquerda preconizadora da chamada igualdade social.
Para Arcangeli, existem “pré-candidaturas” ligadas ao Palácio dos Leões geradas por desentendimentos internos e que não foram criadas apenas com o intuito de desestabilizar um ou outro nome. O pré-candidato evitou falar no termo “consórcio”, criado para se referir ao suposto grupo palaciano.
Arcangeli teceu críticas ao PT e à gestão do partido comandado nacionalmente pelo ex-presidente Lula, disse ser contrário ao financiamento público das siglas, expôs diferenças atuais com o PSOL, afirmou que o PSTU não está aberto a alianças e falou sobre suas propostas, em especial, na saúde.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

Assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte