Reconhecimento

Talento precoce e reconhecido

Willame Belfort é o primeiro maranhense a entrar para a Academia de Artes, Ciências e Letras do Brasil, por ter se destacado no cenário musical, literário e acadêmico

Evandro Júnior/ Da equipe de O Estado

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h19
Willame Belfort integra a Academia de Artes, Ciências e Letras do Brasil
Willame Belfort integra a Academia de Artes, Ciências e Letras do Brasil (WILLAME BELFOR)

SÃO LUÍS- A Academia de Artes, Ciências e Letras do Brasil, dirigida pelo maestro Armando Caaraura, conferiu ao jovem artista e educador maranhense Willame Belfort, de 23 anos, o título de “Imortal”, por sua produção intelectual, destaque precoce no cenário musical, literário e acadêmico, e também por sua contribuição social. Ele é autodidata e integra a Escola de Música do Estado do Maranhão “Lilah Lisboa de Araújo", destacando-se como pianista, compositor, maestro, escritor, pesquisador, professor e artista plástico.

Willame Belfort foi admitido no dia 19 de maio de 2020 para a Academia de Artes, Ciências e Letras do Brasil, com sede em Volta Redonda (RJ). No entanto, devido à pandemia do novo coronavírus, a posse acontecerá somente em 14 de novembro, na sucursal da região Nordeste, em Pernambuco. Ele ocupará a cadeira de número 608. A Academia reúne pessoas notáveis dos setores da arte, cultura e letras.

“Sinto-me imensamente feliz e honrado. Espero poder representar ainda mais o nosso Maranhão, em especial os colegas artistas e educadores”, diz Belfort, que é pianista clássico e tem no currículo experiências ao lado de instrumentistas e cantores conceituados.

Compositor erudito com músicas já tocadas em outros estados e países, ele também tem textos publicados em trabalhos literários de nível nacional. Além disso, é professor no Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação Joãosinho Trinta desde 2015.

E-book - Recentemente, Willame lançou o e-book de poesia intitulado “O Intenso por extenso”, dedicado à sua namorada, Louryellen Costa. Sua obra musical pode ser encontrada na biblioteca digital do Sesc Partituras e no site www.letras.com.br. Entre outras coisas, ele foi pianista oficial do Teatro Arthur Azevedo, de 2016 a 2017.

Os elogios ao maranhense chegam de toda a parte. “Eu sou um caçador de talentos. Costumo ficar acordado durante a madrugada no exercício de tal atividade, mas desta vez quem o descobriu foi a minha assistente, a acadêmica Dayane Lázaro. Fiquei fascinado pela qualidade e quantidade nas produções do brilhante Willame, com tão pouca idade. Durante a entrevista, pude constatar, além da genialidade, um ser humano grandioso”, conta o maestro Armando Caaraura.

“Há muito tempo, entendi que se quisesse fazer a diferença no mundo, precisaria preparar aqueles que irão tomar de conta dele. Jovens com criatividade, inteligência, empatia e que não pensassem somente no óbvio. Encontrar com esse jovem é um achado. Inteligente, dedicado e com potencial incrível para fazer a diferença não somente em sua vida, mas na vida de outros jovens, por meio de uma das mais importantes ferramentas: O exemplo”, diz o consultor regional da Unicesumar São Luís, Rafael Feliciano, instituição onde willame cursa Letras.

Os primeiros escritos de Willame Belfort surgiram quando ele contava apenas 7 anos de idade, com a criação de histórias para o teatro de bonecos, época em que dominava o desenho e já arriscava alguns versos. Mas foi a partir do ensino médio na Escola CEMSA que sua aspiração literária começaria a ser levada a sério.

Apesar da dedicação, ele enveredou pelos caminhos da música erudita, com a qual já recebeu homenagens. Suas produções atravessaram fronteiras internacionais e agora ele coleciona conquistas na área das letras, com aprovações em coletâneas e concursos de relevância nacional.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.