Política | Novo coronavírus

Dino endossa SES e diz que atividades podem ser fechadas se casos de Covid-19 voltarem a aumentar

Governo do Maranhão disse que a reabertura de atividades continuará, mas poderá haver restrições de novo caso o número de contaminados volte a crescer na ilha de São Luís
Gilberto Léda/ Da editoria de Política26/06/2020 às 13h23
Dino endossa SES e diz que atividades podem ser fechadas se casos de Covid-19 voltarem a aumentarFlávio Dino garante que atividades comerciais poderão ser fechadas caso número de contaminações aumente (Reprodução)

São Luís, MA - O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), endossou nesta sexta-feira, 26, durante entrevista coletiva, discurso do secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, sobre a possibilidade de novo fechamento de setores do comércio e indústria caso haja uma segunda onda da Covid-19 no estado.

Neste fim de semana, o comércio maranhense prepara-se para a reabertura do setor de bares e restaurantes e, por isso, o governo tem reforçado a necessidade de atendimento às medidas sanitária para evitar um aumento do número de casos – que vêm caindo semana a semana.

“Não podemos relaxar nas medidas sanitárias editadas pelo governo do Estado e pelas prefeituras por que elas são vitais para que possamos continuar no enfrentamento da doença”, disse.

O comunista destacou exemplos malsucedidos de reabertura na Europa para destacar que pode haver novo endurecimento de medidas também no Maranhão.

“Nós estamos vivendo neste momento a abertura das atividades. É vital que todos cuidem das suas famílias mediante às medidas sanitárias. É possível sim que setores econômicos sejam abertos hoje e que depois de algumas semanas, por conta das questões sanitárias possam ser interditados novamente. Já vimos isto em Portugal, na França e até na China, então não descuidem das normas sanitárias”, afirmou.

Pode fechar

Na quinta-feira, 25, durante entrevista ao programa Ponto Final, da Rádio Mirante AM, o titular da SES já havia feito o mesmo alerta. Segundo Carlos Lula, as regras sanitárias definidas para os estabelecimentos devem ser seguidas à risca. Caso contrário, se o número de novos casos voltar a aumentar, é possível que haja novo fechamento.

“Se voltarem a aumentar os casos, a gente vai ser obrigado a fechar”, afirmou o secretário, referindo-se não apenas ao setor de bares e restaurantes, mas a todo o empresariado.

Segundo ele, pelo menos por enquanto, ainda não se percebeu o chamado “efeito rebote”, e o registro de novos casos da Ccovid-19 segue em queda no estado.

Pelo calendário do Governo do Maranhão, bares e restaurantes reabrirão a partir de sábado (27), mas com uma série de restrições.

“É importante: tem muita restrição. Vai voltar, mas já não vai voltar como era. Tem distância entre as mesas; tem capacidade máxima de estabelecimento, só vai ser metade; não vai ser permitida atração cultural que promova aglomeração. E posso dizer, também, não vai ser permitido self-service no retorno, nesse momento, porque é o tipo e atividade de restaurante que não nos dá segurança. E também não retomam, ainda, praças de alimentação de shopping”, concluiu.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte