Esporte | Futebol Feminino

Fifa anuncia Copa do Mundo inédita na Oceania, e maranhense fala sobre seu voto

Copa do Mundo Feminina será na Austrália e Nova Zelândia; Fernando Sarney, membro de comitê executivo, fala sobre escolha pela Colômbia
Eduardo Lindoso/ Editor de Esportes 25/06/2020 às 16h52
Fifa anuncia Copa do Mundo inédita na Oceania, e maranhense fala sobre seu votoFernando Sarney durante votação nesta quinta-feira (25) (Paulo Soares)

SÃO LUÍS – A Fifa decidiu, nesta quinta-feira, 25, por meio de uma videoconferência, que a próxima Copa do Mundo Feminina será realizada na Oceania pela primeira vez na história. Austrália e Nova Zelândia foram escolhidas como sedes do próximo mundial, que será disputado em 2023. A decisão da escolha foi divulgada depois de votação entre os membros do conselho da entidade. O maranhense Fernando Sarney, membro do Comitê Executivo da entidade e vice-presidente da CBF, revelou o seu voto na Colômbia e citou unidade entre Uefa (Europa) e Conmebol (América do Sul) pela candidatura colombiana.

Com a retirada das candidaturas de Brasil e Japão, as candidaturas Austrália/ Nova Zelândia e Colômbia ficaram na disputa. O placar da votação ficou de 22 a 13 a favor dos países da Oceania. Trinta e cinco membros do conselho que participaram da eleição. Dentre eles, o maranhense Fernando Sarney, que justificou o seu voto.

“Votei na Colômbia para mantermos uma unidade na América do Sul, o Brasil desistiu da sua candidatura em função disso. E nós tínhamos esse compromisso, como temos com a Uefa, que também votou em bloco. Então, tivemos o apoio da Europa e da América do Sul nessa votação”, explicou.

Veja como votou cada membro do conselho

A Concacaf (Américas Central e do Norte), CAF (África), AFC (Ásia) e OFC (Oceania) - preferiram Austrália e Nova Zelândia, e também o presidente Gianni Infantino, optaram por Austrália/ Nova Zelândia.

Fórmula da disputa

A Copa do Mundo Feminina da Oceania vai ser a primeira a contar com 32 equipes. O torneio começou a ser realizado pela Fifa em 1991 e já teve oito edições, sendo a última edição na França, em 2019, e foi vencida pelos EUA, que são os maiores vencedores, com quatro títulos, seguidos pela Alemanha, com duas conquistas, e Noruega e Japão, com um troféu cada.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte