Geral | Em menos de um mês

Nelson Teich pede demissão do Ministério da Saúde

Segunda demissão em menos de um mês no Ministério da Saúde em meio a uma pandemia; insatisfação de Bolsonaro com discurso de Teich seria uma das justificativas
Com informações do G115/05/2020 às 12h08
Nelson Teich pede demissão do Ministério da SaúdeNelson Teich assumiu o cargo no lugar de Luiz Henrique Mandetta (Divulgação)

BRASÍLIA- O ministro da Saúde, Nelson Teich, deixou o cargo nesta sexta-feira (15), antes de completar um mês à frente da pasta. Em nota, a pasta informou que ele pediu demissão. Bolsonaro teria se antecipado à demissão e chamado o general Eduardo Pazzuello para assumir a pasta.

País já ultrapassa a marca de 14 mil mortes e plano de execução do Ministério da Saúde tem sido marcado por desavenças com o Presidente da República que é contra as recomendações de isolamento social.

Teich tomou posse em 17 de abril. Essa é a segunda saída de um ministro da Saúde em meio à pandemia do coronavírus. Teich havia substituído Luiz Henrique Mandetta.

Assim como Mandetta, Teich também apresentou discordâncias com o presidente Jair Bolsonaro sobre as medidas para combate ao coronavírus.

Nos últimos dias, o presidente e Teich tiveram desentendimentos sobre:

  • o uso da cloroquina no tratamento da covid-19 (doença causada pelo vírus). Bolsonaro quer alterar o protocolo do SUS e permitir a aplicação do remédio desde o início do tratamento.
  • o decreto de Bolsonaro que ampliou as atividades essenciais no período da pandemia e incluiu salões de beleza, barbearia e academias de ginástica
  • detalhes do plano com diretrizes para a saída do isolamento. O presidente defende uma flexibilização mais imediata e mais ampla.
  • Teich foi chamado para uma reunião no Palácio do Planalto nesta manhã. Ele esteve com Bolsonaro e depois voltou para o prédio do Ministério da Saúde. A demissão foi anunciada logo depois.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte