PH | COLUNA SOCIAL

Pergentino Holanda

26/03/2020

O valor das janelas
Nunca uma sacada fez tanta diferença. Agora é ali, no espaço exíguo, mureta baixa, o ar correndo, que a vida passa. Nesses tempos de pandemia, bem-aventurados os que dispõem de um janelão, que dirá de um corredor mais largo, de preferência com a vista ampla.
O isolamento imposto pela covid-19 nos recolheu ao lar e a cada dia redescobrimos um pedaço da própria casa. Muitos aproveitaram para trocar os móveis de lugar, reorganizar os livros, se livrar das quinquilharias acumuladas há séculos naquele cantinho intocado. Mas o respiro da alma é na beira da rua.
Pode ser por alguns minutos ou horas a fio, com a cabeça esticada para fora ou só os pés pegando sol. Ninguém sabe até quando vai o confinamento. Melhor também não pensar. Quando uma doença mata milhares mundo afora, parando cidades e países, fechando
fronteiras e proibindo abraços, talvez a coisa mais sensata a fazer seja mesmo ficar inerte, desopilando com a consciência tranquila de quem passou álcool até nas paredes.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte