Cidades | Desrespeito

População desrespeita isolamento social e é vista em ruas da capital

Na Avenida Litorânea e na Rua Grande ainda é possível encontrar pessoas passeando, alheias aos riscos de contágio pelo coronavírus
Ismael Araújo / O Estado25/03/2020
Pessoas passeiam e tomam água de coco na Av. Litorânea

Mesmo a ordem do momento sendo isolamento social como uma das principais formas de precaução e de conter a proliferação da pandemia do vírus Covid-19, coronavírus, ainda é possível encontrar grupos de pessoas circulando em diversos pontos da cidade, inclusive, em áreas de lazer. Os avisos para a população ficar em sua residência está sendo massificada diariamente na mídia e, ainda na semana passada, o Governo do Estado, por meio de decreto, fechou o comércio e proibiu a ocorrência de eventos, principalmente, culturais.

Na Avenida Litorânea, apesar dos bares estarem fechados ainda ontem havia pessoas correndo e caminhando pelo calçadão. Também era possível encontrar alguns passeando com animais, tomando banho de mar e pegando sol na areia. A maior parte usava máscara. “Faço caminhada na Litorânea diariamente, mas, quando estou fazendo exercícios físicos não tem como usar máscara”, declarou Cláudio Antônio Silva, de 34 anos.
Quem também estava na orla, sem usar a máscara, era o aposentado José Soeiro, de 89 anos. “Estou na companhia do meu filho e moramos na área central da cidade. Viemos bem rápido à Litorânea para tomar uma água de coco”, contou o aposentado.

Algumas pessoas transitavam pela Rua Grande, com lojas fechadas

No Centro
Mesmo com as portas fechadas dos pontos comerciais da Rua Grande, no Centro, inclusive, algumas agências bancárias, ainda ontem era possível encontrar pessoas circulando e até mesmo a presença de vendedores ambulantes.
Luís Carlos Vieira, de 52 anos, estava com algumas mercadorias nas mãos oferecendo para os poucos clientes. “Tenho esses produtos e estou tentando vender para não ficar com um prejuízo maior”, contou o ambulante.

Justiniano Pereira, de 54 anos, disse que é da cidade de Igarapé Grande e ontem veio a São Luís porque sua esposa, Glecivane Galvão, de 32 anos, tinha uma consulta marcada em uma clínica, no Centro, e pretendia também resolver um problema no banco. “A consulta deu certo, mas, encontramos o banco fechado. Estamos na Ilha em uma casa de apoio”, contou.

Combate
Os homens do Corpo de Bombeiros Militar e da Guarda Municipal de São Luís, ainda no último domingo, realizaram uma ação integrada para dispersar as pessoas que estavam na orla da capital, em uma das medidas de combater o coronavírus. “Nesse cerco, orientamos e conscientizamos os banhistas sobre o risco de contaminação ao sair de casa”, frisou o major Lisboa, chefe da seção de comunicação do Corpo de Bombeiros Militar.

Ele ainda informou que a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde (MS) recomendam que a população evite locais com grandes aglomerações para conter a curva de crescimento do contágio da Covid-19. O trabalho de combate vai ser feito nessa localidade durante todo o período de vigência da quarentena.

Ainda segundo o major, os bares da Litorânea estão fechados, por determinação do decreto do Governo do Estado, e em caso de descumprimento serão notificados ou até mesmos notificados. “Todos os bares que avistamos abertos na Litorânea, fizemos a abordagem e já fechamos. Se por ventura houver alguma resistência, iremos novamente fazer orientação e, possivelmente, notificação ou até mesmo a interdição do estabelecimento”, detalhou o major.

O delegado da Delegacia de Costumes, Joviano Furtado, disse que o Governo do Estado, proibiu durante este período, a emissão de autorização de eventos públicos ou privados e cassou as autorizações anteriormente emitidas.
Caso haja eventos, a população pode denunciar por meio do telefone 190. “A Polícia Civil com as guarnições da Militar estão realizando incursões na Grande Ilha e caso encontre eventos em que há grande fluxo de pessoas é de imediato fechado”, afirmou Joviano Furtado.

.

AGLOMERAÇÃO

Uma boa ação acabou se transformando em risco durante a pandemia. Ontem, centenas de pessoas se aglomeraram para receber cestas básicas, distribuídas no Centro Histórico.
A ação era do Governo do Maranhão em parceira com a Assembleia Legislativa. Visa ajudar pessoas, como ambulantes, que tiveram a venda reduzida por causa da menor circulação de pessoas nas ruas.

NÚMERO

190 é o telefone que você deve ligar caso veja algum evento ou festa acontecendo, com aglomeração

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte