Geral | Drama

Desalojados por cheia chegam a 500 em Imperatriz

Nível do Rio Tocantins e riachos já baixou, mas, de acordo com especialistas, ainda não é seguro voltar para casa
Daniel Matos18/03/2020 às 09h47
Desalojados por cheia chegam a 500 em ImperatrizAvenida de Imperatriz danificada por enchente passar por recuperação (cheia imperatriz)

Cento e vinte e seis famílias continuam desalojadas pela enchente ocorrida em Imperatriz. Segundo a Defesa Civil municipal, o problema agravou-se após a forte chuva que caiu no último domingo, 15, e alagou os bairros Caema, Porto das Balsas, Vila Leandra, Parque Alvorada, Vila Ipiranga, Amazonas e Mutirão.

O superintendente da Defesa Civil de Imperatriz, Joseano Galvão, informou que no último domingo choveu mais de 235 milímetros e o Rio Tocantins e os riachos que cortam várias localidades, acabaram transbordando e desalojando os moradores, em um total de 500 pessoas, aproximadamente, sobretudo os ribeirinhos. Todos foram levados para abrigos na cidade e estão recebendo assistência.

Perigo

Galvão informou que as ações assistenciais estão sendo executadas pela Defesa Civil, secretarias municipais, Corpo de Bombeiros e governo estadual. As águas do rio e dos riachos estão baixando, mas, segundo as equipes de resgate, ainda não é seguro o retorno das famílias aos lares.

O governo informou que a recuperação emergencial e a desobstrução de vias de Imperatriz já começou e é executada pela Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra).

Na manhã de ontem, os trabalhos concentravam-se nos bairros Nova Imperatriz, Bacuri, Parque Alvorada e Jardim São Francisco, além das ruas mais danificadas. “Estamos agindo rápido para diminuir os transtornos causados pelas chuvas à cidade”, garantiu o secretário da Sinfra, Clayton Noleto.

Mais

Solidariedade

Para amenizar o drama das dezenas de famílias desalojadas pela cheia em Imperatriz, o Grupo Potiguar, sensibilizado com o agravamento da situação, resolveu lançar uma campanha de doação às vítimas, colocando a loja Potiguar de Imperatriz, no bairro Côco Grande, como ponto de arrecadação. Contato para informações: (99) 3221-7000.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte