Cidades | Situação grave

Água da chuva invade casas em Paço do Lumiar e desaloja moradores

Invasão denominada Barreira foi transformada em um lago e, pelo menos, 30 famílias ficaram desalojadas; muitas pessoas não têm para onde ir
Ismael Araújo / O Estado14/03/2020
Visto do alto, é possível perceber como área onde foram construídos os casebres transformou-se em um lago, com o acúmulo de água da chuva

Os casebres da invasão Barreira, localizada no Residencial bairro Eugênio Pereira, em Paço do Lumiar, foram invadidos pela água da chuva, que desalojou pelo menos 30 famílias. Segundo os moradores, essa situação de calamidade começou após a forte chuva, ocorrida no último dia 9, na Grande Ilha, e o longo da semana teve mais agravantes.

Luana Galvão, de 20 anos, foi uma das prejudicadas. Ela disse que reside em uma casa de barro com seus dois filhos, que são menores de idade, e afirmou que não tem condição financeira para morar em uma outra localidade. “Não tenho como pagar um aluguel de uma casa, então, o jeito é morar dentro da água”, contou a moradora.

A Barreira está localizada em um terreno baixo e quando chove, principalmente, de forma intensa a água das outras ruas do Eugênio Pereira e do bairro Pirâmide, tem como destino final a invasão, formando ali um grande lago. “A água vem para a invasão e neste local não tem para aonde escorrer. Tudo fica alagado. As casas ficam tomadas pela água da chuva e alguns moradores têm de procurar um local mais alto para construir seus casebres”, disse a moradora.

Água cobriu metade das casas, em Barreira, durante chuvas intensas na última segunda-feira, 9

Mais calamidade
Maria José Barbosa, de 46 anos, também não tem para aonde ir com a sua filha, Esleny Araújo, de 23 anos, que está grávida de nove meses. “A minha filha está prestes a ter uma criança e, após o parto, retorna para a invasão, trazendo um recém-nascido”, apontou, preocupada.

Edeilson Costa, de 36 anos, disse que a sua casa ainda não foi alagada, mas, caso as chuvas continuem intensas na Ilha vai ser invadida pela água. “Estou com medo e a água já está bem próxima da minha residência onde moro com a minha esposa e os meus dois filhos”, desabafou.

Ainda nesse local há um casebre coberto de lona, localizado em cima de uma barreira onde, segundo Edeilson Costa, residem seis crianças e o pai delas. Ele também contou que a mãe dessas crianças, identificada apenas como Gorete, faleceu há menos de duas semanas. “A vida dessa família está complicada, pois, mora em um local de risco e ainda sofre com a perda de uma pessoa querida”, afirmou o morador.

Força-tarefa
A Prefeitura de Paço do Lumiar informou, na sexta-feira, 13, por meio de nota, que montou uma força-tarefa para recuperar as ruas e estradas atingidas pela forte chuva no município e atender as pessoas atingidas pela chuva.

Além da recuperação asfáltica, a prefeitura está realizando um plano de desobstrução dos canais de macrodrenagem a fim de aprofundar trechos assoreados de alguns rios, possibilitando a melhor vazão da água.

Entre as áreas que já receberam os serviços estão a Avenida Boa Viagem na Vila do Povo, Rua 98 no Maiobão e Estrada do Mojó. Outras localidades que sofreram com a chuva também serão recuperadas.

SAIBA MAIS

A forte chuva e a maré alta, na última segunda-feira, 9, deixou desabrigados alguns moradores da Portelinha, que fica na área da Ilhinha, e da Vila Palmeira, em São Luís. Os desabrigados foram levados para uma escola pela Defesa Civil e os integrantes do Corpo de Bombeiros Militar.

.

DESALOJADO

Francisco da Silva, de 38 anos, é um dos moradores da invasão que teve a casa invadida pela chuva. Ele disse que a sua casa tem um metro e meio de baldrame, mas, mesmo assim, foi alagada. “A água tomou conta da minha casa e, no momento, estou residindo de favor na residência de um vizinho. Vou esperar a água baixar para voltar para o meu lar com a minha família”, declarou o morador.

Galeria de fotos

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte