Economia | Inflação

Inflação de São Luís em fevereiro foi de 0,18%

Enquanto em janeiro, em São Luís, o IPCA teve comportamento deflacionário, - 0,19%, no mês de fevereiro ocorreu elevação de preços
Redação com dados do IBGE12/03/2020 às 11h24
Inflação de São Luís em fevereiro foi de 0,18%Inflação de São Luís em fevereiro foi de 0,18% (Inflação)

O IPCA, índice Nacional de Preços ao Consumidor sofreu elevação em São Luís no mês de fevereiro de 0,18%. Dos nove grupos de despesa houve elevação em cinco, educação (2,63%), alimentação e bebidas (0,84%), vestuário (0,40%), artigos de residência (0,21%) e habitação (0,12%). Os outros quatro grupos sofreram quedas no preço, saúde e cuidados pessoais (-0,74%), comunicação (-0,54%), transporte (-0,29%) e despesas pessoais (-0,20%).

O dado foi divulgado pelo IBGE nesta quarta-feira (12), se referindo às famílias com rendimento monetário de 01 a 05 salários mínimos, sendo o chefe assalariado. São Luís apresentou a taxa inflacionária para o INPC maior que a média Brasil (+0,17%). No mês anterior, o índice ficou em -0,28%.

Fevereiro 20200,18%
Janeiro 2020- 0,19%
Fevereiro 20190,43%
Acumulado ano0,02%
Acumulado 12 meses 3,73%

Mesmo o grupo de despesa educação tendo maior aumento de preço no mês de fevereiro, foi o grupo alimentação e bebidas que acusou maior impacto no IPCA do mês, devido a esse grupo ter maior peso nas despesas da família. Os alimentos que tiveram maior aumento foram o tomate (36,09%), cheiro-verde (12,36%), banana prata (9,59%), peixe-pescada (8,25%) e cebola (7,89%).

O aumento de preços no grupo educação, nesse período de ano, já é esperado devido o aumento de preço nos cursos regulares (como creche, pré-escola, fundamental e médio)e cursos diversos.

Enquanto no mês de janeiro, houve recuo de preço no grupo de artigos de residência, na ordem, de -1,26%, no mês de fevereiro, os preços avançaram, +0,21%. No grupo habitação, houve aceleração de preços na ordem de 0,12%.

O grupo saúde e cuidados pessoais, pelo segundo mês consecutivo apresentou diminuição de preços. Em janeiro, o recuo foi de -1,81%, e agora, em fevereiro, foi de -0,74%. Destacaram-se no recuo de preço os antidiabéticos, -15,52%, antigripais e antitussígenos, -12,43%, neurológicos, -10,29%.

No grupo comunicação, ao ser detectado recuo de preços nos aparelhos telefônicos, -1,49%, acabou causando a deflação . Já o grupo transporte, tiveram influência na deflação o comportamento de preços para óleo diesel, -2,57%, gasolina, -2,53%, e motocicleta, -0,91%.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte