Cidades | Imunização

Quase 30 mil pessoas foram vacinadas em São Luís contra o sarampo

Vacinação abrange público na faixa etária de 5 aos 19 anos; a campanha de imunização será encerrada no próximo dia 13 de março
Nelson Melo / O Estado08/03/2020 às 13h15
Quase 30 mil pessoas foram vacinadas em São Luís contra o sarampoQuase 30 mil pessoas foram vacinadas em São Luís desde o início da campanha, (De Jesus / O ESTADO)

A campanha contra o sarampo, que tem como público a faixa etária dos 5 aos 19 anos, foi iniciada no dia 10 de fevereiro e se estenderá até o próximo dia 13 de março, em todas as unidades federativas do Brasil, conforme cronograma estabelecido pelo Ministério da Saúde. Em 2019, também houve imunização no País, no segundo semestre. Reunindo todas as etapas, já foram vacinadas, somente na capital maranhense, 24.542 mil pessoas. Os dados foram divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus) na quinta-feira, 6.

Conforme informações da Semus, as quase 30 mil pessoas foram vacinadas em São Luís desde o início da campanha, que ocorreu em outubro do ano passado. Para a imunização, as 68 unidades de saúde da cidade estão com as doses disponíveis. O órgão destacou que o procedimento é o único meio de prevenção contra a doença, que está com quase 300 casos confirmados no Brasil em 2020, em oito estados, como mostra o último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde.

“A Secretaria Municipal de Saúde informa que a vacina contra o sarampo é para pessoas de 05 a 19 anos que ainda não foram vacinadas”, frisou o órgão da Prefeitura de São Luís. Importante dizer que o objetivo da campanha é alcançar crianças e jovens ainda não imunizados contra a doença. Por este motivo, é fundamental comparecer às unidades básicas de saúde com a carteirinha de vacinação, para que um profissional verifique a necessidade de aplicação da dose.

Surto do sarampo
Em 2020, ainda não houve notificações de sarampo no Maranhão, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Em outras unidades federativas do Brasil, o surto continua. De forma mais específica, os oito estados com situações confirmadas são: São Paulo (136 casos - 40,4%), Rio de Janeiro (93 - 27,3%), Paraná (64 - 19,0%), Santa Catarina (22 - 6,5%), Rio Grande do Sul (11 - 3,3%), Pernambuco (7 - 2,0%), Pará (4 - 1,2%) e Alagoas (1 - 0,3%).

Até o momento, o Brasil registrou três óbitos por sarampo, que ocorreram no Pará, Rio de Janeiro e São Paulo, conforme o Ministério da Saúde.

Campanha em 2019
A Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, coordenada pelo Ministério da Saúde, foi realizada de forma seletiva, e ocorreu em duas etapas. No período de 7 a 25 de outubro, o público-alvo foram as crianças de seis meses a menores de 5 anos. O Dia D (Dia de Mobilização Nacional) aconteceu em 19 de outubro. Já a segunda etapa, que aconteceu de 18 a 30 de novembro, teve como foco a população de 20 a 29 anos. O Dia D foi registrado em 30 de novembro.

Em São Luís, somente na primeira fase da ação, foram imunizadas quase 12 mil pessoas, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Semus).

Campanha em 2020
Nesta terceira etapa da campanha de imunização contra o sarampo, o objetivo é vacinar 3 milhões de pessoas dos 5 aos 19 anos no Brasil, segundo estimativa do Ministério da Saúde. A imunização está ocorrendo nos 42 mil postos de saúde do País. Para viabilizar a iniciativa, além das demandas de rotina, o órgão federal enviou 3,9 milhões de doses, ou seja, 9% a mais que o solicitado pelos estados, para combater a doença, que tem as crianças como as mais suscetíveis às complicações.

Desde agosto de 2019, o Ministério da Saúde passou a adotar, como medida preventiva, a chamada ‘dose zero’. Assim, todas as crianças de seis meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas contra o sarampo. Basta que os responsáveis procurem os postos de saúde durante o ano. Esta dose não é considerada válida para fins do Calendário Nacional de Vacinação, devendo ser agendada, a partir dos 12 meses (1ª dose), a vacina tríplice viral; e, aos 15 meses (2ª dose), a vacina tetra viral ou tríplice viral mais varicela, respeitando o intervalo de 30 dias entre as doses.

Dando continuidade às ações em 2020, outras duas etapas de mobilização nacional devem ocorrer. As próximas etapas serão realizadas com foco nos públicos de 20 a 29 anos e de 20 a 59 anos.

Casos no Maranhão
No Maranhão, oito casos foram confirmados em 2019, mas sem registros de óbitos, como foi observado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). As duas últimas situações aconteceram em dezembro. Antes desses casos, o surto afetou uma criança de um ano, do município de Lima Campos, e um homem, de 32 anos, vindo de São Paulo, em visita à família em Pedreiras. Nesses dois episódios, as pessoas não eram vacinadas.

Os quatro casos anteriores foram registrados nos municípios de Vitorino Freire, onde uma mulher de 40 anos, vinda de São Paulo, contraiu a doença; em Lago da Pedra - um bebê de oito meses; em São Luís - um homem de 33 anos, vindo de Santos (SP), e em Caxias - uma criança, de sete meses. Em todos os casos, a Vigilância Epidemiológica dos municípios realizou as ações de bloqueio, com imunização dos contatos diretos.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte