Política | Pacificação

Jair Bolsonaro refuta ataques contra Legislativo e Judiciário em live

Presidente criticou atuação da mídia e fez apelo por serenidade, patriotismo e responsabilidade
28/02/2020 às 09h15
Jair Bolsonaro refuta ataques contra Legislativo e Judiciário em livePresidente desmentiu movimentações contra o estado democrático (Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem (27), durante sua live semanal nas suas redes sociais, que não está estimulando protestos contra o Congresso Nacional e o Judiciário, e pediu serenidade e responsabilidade. Ele refutou informações, veiculadas nos últimos dias, pela imprensa, de que estaria apoiando o fechamento do Legislativo e do Supremo Tribunal Federal (STF).

“Eu não vi nenhum presidente de Poder falar sobre essa questão do dia 15, que eu estaria estimulando um movimento contra o Congresso e contra o Judiciário, não existe isso. Não falaram porque não existe isso. Agora, nós não podemos nos envenenar com essa mídia podre que nós temos aí, em grande parte, podre que nós temos ai. Eu apelo a todo mundo, serenidade, patriotismo, responsabilidade, verdade. Nós podemos mudar o destino do Brasil. Não vou falar bem do meu governo, você que julga na ponta da linha. Pode ter certeza que, cada vez mais, os chefes de Poderes vão se ajustando, porque a nossa união, são quatro homens, quanto mais ajustados nós tivermos, nós juntos podemos fazer um Brasil melhor para 210 milhões de pessoas”, afirmou.

Bolsonaro disse que respeita os Poderes e que quer ver os projetos enviados pelo governo sendo votados no Congresso Nacional. Segundo ele, como boa parte das suas iniciativas depende do Legislativo, ele acaba sendo cobrado pela população mais do que os parlamentares. “Não existe qualquer crítica a Poderes, agora eu tenho que dar uma satisfação porque na ponta da linha o povo cobra muito mais de mim do que do Legislativo ou do Judiciário”.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte