Polícia | Monitor da Violência

1.486 mortes violentas registradas ano passado no Maranhão

Dados são do Mapa da Violência, feito pelo G1 com apoio da USP e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública
Ismael Araújo15/02/2020
1.486 mortes violentas registradas ano passado no MaranhãoPaulo Paulino Guajajara uma das vítimas da violência no Maranhão (Divulgação)

SÃO LUÍS - Segundo os dados do Monitor da Violência, divulgado nesta sexta-feira, 14, no site G1, foram registradas 1.486 mortes violentas (homicídio, latrocínio e lesão corporal seguido de morte) durante o ano passado no Maranhão, apresentando uma média de 124 ocorrências por mês, Em 2018, os números foram maiores, um total de 1.699 assassinatos em todo o estado.

O Monitor da Violência ou Mapa da Violência é feito pelo site noticioso G1 em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (USP) e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O levantamento ainda revela que 41.635 pessoas foram assassinadas em 2019 no país, enquanto, no ano anterior, um montante de 51.558.

Em relação ao estado maranhense, o Mapa da Violência mostra que agosto e novembro do ano passado foram os que mais ocorreram mortes violentas, 140 casos em cada mês. Em seguida, setembro, com 138 ocorrências, enquanto julho foi o mês que registrou menos casos, 103.

No primeiro mês do ano passado, o registro foi de 111 mortes violentas; fevereiro, 110; março, 129; abril, 115; maio, 134; junho, 122; outubro, 133; e dezembro, um montante de 111 mortes em todo o estado. A maioria desses casos está relacionado ao crime de homicídio doloso, um total de 1.398 ocorrências. Já, os crimes de latrocínio foram 15 casos e lesão seguido de morte, 13 ocorrências ao longo de 2019.

Crimes

Somente na Grande Ilha (São Luís, Raposa, Paço do Lumiar e São José de Ribamar) durante o mês de dezembro do ano passado, ocorreram 24 mortes violentas, de acordo com os dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP). A polícia informou que a maioria das vítimas foi assassinada por arma de fogo e teve a participação de integrantes de facção criminosa. Uma das vítimas foi George Washington Brito Sousa, de 15 anos. A polícia informou que o adolescente foi morto com mais de cinco tiros, inclusive, na cabeça e teria sido vítima do tribunal do crime de uma facção criminosa, na noite do dia 14, na Camboa.

Também no dia 29 de dezembro, ocorreu a morte do auxiliar penitenciário Antônio Magno Reis Duarte, de 45 anos, na Vila Mauro Fecury 2, perto da sua residência. Segundo a polícia, ele estava sem camisa, ingerindo bebida alcoólica, sentado em uma cadeira, quando dois homens em uma motocicleta apareceram. O garupa desceu, sacou da arma de fogo e efetuou os tiros contra a vítima.

No dia primeiro de novembro do ano passado, o indígena Paulo Paulino Guajajara foi morto a tiros durante uma emboscada na terra indígena, na região de Bom Jesus das Selvas, entre as aldeias Lagoa Comprida e Jenipapo. Um madeireiro morreu e o indígena Laércio Guajajara foi baleado no braço e nas costas. Ele foi levado para o hospital, onde foi medicado.

A Polícia Federal e a equipe da Superintendência de Homicídio e Proteção a Pessoas investigam o caso. Dia 23 de abril de 2019 foi assassinado o vereador de Maranhãozinho, Jonas Pereira Serra, o Jango, na cidade de Santa Luzia do Paruá. Ele chegou a ser presidente da Câmara de Maranhãozinho.

Entenda

Números da violência no Maranhão

Janeiro: 111 casos

Fevereiro: 110 casos

Março: 129 casos

Abril: 115 casos

Maio: 134 casos

Junho: 122 casos

Julho: 103 casos

Agosto: 140 casos

Setembro: 138 casos

Outubro: 133 casos

Novembro: 140 casos

Dezembro: 111 casos

Fonte: Mapa da Violência

Número

1.486 assassinatos ocorridos no ano passado no Maranhão

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte