Estado Maior

Racha evidenciado

14/02/2020

Um racha no grupo do governador Flávio Dino (PCdoB) está a cada dia mais evidenciado. E um dos motivos – o principal – é a disputa eleitoral de 2022 para o governo. E esta falta de entendimento tem refletido diretamente nos acordos para as eleições deste ano entre o PDT e os comunistas do Maranhão.

A sucessão daqui a três anos, mais ou menos, já tem dois nomes dados como certo dentro dos cenários atuais: o vice-governador Carlos Brandão e o senador Weverton Rocha. Parece fácil imaginar que sendo do mesmo grupo, Flávio Dino poderia apoiar os dois e assim evitar conflitos.

Mas, pelos objetivos políticos do comunista e o fato de que à época da campanha eleitoral de 2022 ele não terá mais a força da caneta do Palácio dos Leões, Dino optará por um dos dois postulantes.

E se o Palácio pode ajudar, ele deverá decidir ficar com Brandão, que a partir de abril de 2022 será o novo governador do Maranhão.

Sabendo disso, Weverton Rocha começou a formar um grupo dentro do grupo de Dino para conseguir ter espaços necessários para a sucessão maranhense. Nessa confusão toda que antecipa, e muito, o processo eleitoral geral, as disputas municipais estão sofrendo os efeitos.

São Luís é um dos exemplos. Na capital, PCdoB e PDT caminham rumos diferentes e o governador articulou um plano B que possa abrir possibilidades para uma vitória de “gente sua” na Prefeitura da capital.

O fato é que as costuras estão sendo feitas e nada do que vem sendo articulado está deixando a disputa de 2022 de fora.

Disputado

Até o prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PDT), é visto como alvo dos dois grupos que se formaram dentro da base aliada de Flávio Dino.

O PCdoB é só elogios ao pedetista e a sua gestão. Já o partido do prefeito – pelo menos parte dos membros – reclamam que Edivaldo deve ficar ao lado do governador em 2022.

Por enquanto, Edivaldo Júnior nada comenta a respeito, mantendo a postura de se dedicar unicamente à gestão.

Pelo apoio

Mas se até próximo à conclusão do processo de pré-candidaturas a gestão de Edivaldo Júnior mantiver avaliação positiva, a disputa pelo apoio dele deverá aumentar.

O PDT, claro, vai reivindicar o apoio alegando o trabalho desenvolvido em 2016 a favor do prefeito que lhe garantiu a reeleição.

O PCdoB deve fazer diferente e tentar fazer costuras que já leve Edivaldo para a gestão dinista após o fim de mandato e ainda garantir um espaço na chapa majoritária de 2022.

Em Imperatriz

O MDB já tem nome para a disputa eleitoral em Imperatriz. O partido, que em 2016 elegeu Assis Ramos – hoje do DEM – vai lançar a pré-candidatura de Daniel Fiim.

Ele esteve em Brasília para o ato de filiação com a presença do presidente nacional emedebista, Baleia Rossi, e do deputado federal Hildo Rocha.

A expectativa do MDB é voltar a comandar a segunda maior cidade do Maranhão, repetindo a campanha positiva que ocorreu em 2016.

Casa de ferreiro...

Deputados maranhenses se manifestaram ontem em defesa de jornalistas após polêmica na CPMI sobre fake news.

Os parlamentares, maioria da base do governador Flávio Dino, pediu respeito aos profissionais. Até aí, tudo bem. Fizeram o correto.

O jornalismo é um dos pilares da democracia e tem entre suas funções informar a sociedade sobre a aplicação do dinheiro público.

...espeto de pau

Ou seja, os deputados aliados do governo do Maranhão devem defender os profissionais.

Entretanto, “em casa”, esses mesmos aliados não têm a postura que cobram de membros e aliados do Governo de Jair Bolsonaro.

No Maranhão, a imprensa não alinhada ao Palácio dos Leões sofre desde calúnias até numerosos processos com tentativas clara de censura.

De olho

R$ 287,6 milhões é o valor gasto pelo governo estadual no início de 2020. Somente a Saúde consumiu mais de R$ 120 milhões.

Agenda

O governador Flávio Dino esteve ontem em Brasília mantendo a sua peregrinação em busca de apoio para seu projeto de ser candidato a presidente da República, em 2022.

O comunista voltou a se reunir com o deputado Carlos Siqueira, presidente nacional do PSB. Pelas redes sociais, o socialista disse que a conversa foi sobre conjuntura política do Brasil.

Além desse encontro, Dino concedeu entrevista a um jornal de Brasília. Assim, o governador vai mantendo sua agenda de pré-candidato a presidente em detrimento de sua tarefa como gestor do estado do Maranhão.

E mais

- O deputado César Pires (PV) cobrou do governo estadual mais responsabilidade e planejamento no trato com os agricultores do Maranhão.

- Segundo o parlamentar, o atraso na distribuição de sementes pela Secretaria de Estado da Agricultura está causando graves prejuízos aos pequenos produtores.

- O Tribunal de Justiça do Maranhão suspendeu, em definitivo, decisão proferida em agravo de instrumento que poderia levar em aumento no valor das passagens de ônibus em São Luís.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte