Vida | Saúde

Fibrose cística exige atenção nutricional em crianças com a doença

Embora tenha controle, doença genética grave mais comum na infância prejudica absorção de nutrientes e dificulta ganho de peso
05/01/2020 às 00h00
Fibrose cística exige atenção nutricional em crianças com a doençaFibrose cística é uma doença rara e sem cura (Divulgação)

São Paulo - Também conhecida como doença do beijo salgado ou mucoviscidose, a fibrose cística é uma doença rara e sem cura que afeta o funcionamento dos sistemas digestivo e respiratório, causando danos em órgãos como o pulmão, fígado, intestino, rins e pâncreas.

Considerada a doença genética grave mais comum na infância, a fibrose cística se desenvolve a partir de mutações de uma proteína presente no gene CFTR1 e provoca a produção excessiva de muco mais denso e espesso do que o normal.

O mau funcionamento das glândulas que produzem muco, suor ou enzimas pancreáticas, decorrente do gene defeituoso, favorece processos inflamatórios, infecções de repetição e, consequentemente, um quadro nutricional deficiente, em função da baixa absorção de nutrientes. Esses fatores associados prejudicam o desenvolvimento e a qualidade de vida dos pacientes infantis.

Para que um bebê desenvolva a fibrose cística, é necessário que o pai e a mãe sejam portadores de um gene defeituoso CFTR. Quando ambos apresentam uma disfunção nesse gene, a chance de manifestação da doença é de 25% para cada gestação.

Cuidados nutricionais

Pelo fato de a doença aumentar os processos oxidativos, ocasionados pela evolução da doença, e provocar sintomas frequentes, como diarreia e pneumonias de repetição, a criança apresenta dificuldade para ganhar peso, o que afeta diretamente o crescimento e o desenvolvimento pleno do paciente. A produção excessiva de secreções também faz com que sintam falta de ar e tenham alterações de paladar, diminuindo a sensação de fome.

A necessidade calórica dos portadores de fibrose cística é de 120 a 150% dos valores nutricionais recomendados pela RDA (Recommended dietary allowances - RDAs, estabelecidas pela Food and Nutrition Board/National Research Council) e é necessário cuidado com a nutrição, uma vez que o estado nutricional adequado está diretamente relacionado à melhora da função pulmonar e sobrevida desses pacientes. Para auxiliar a recuperação do equilíbrio nutricional da criança, sempre que houver recomendação médica, é essencial suplementar a alimentação para assegurar a absorção adequada de macro e micronutrientes e restaurar o ganho de energia. Consequentemente, a melhora nutricional proporcionará mais bem-estar e qualidade de vida aos pacientes.

Sintomas

Os sintomas da doença costumam surgir logo nos primeiros anos de vida. Por isso, os programas de triagem neonatal são fundamentais para o acompanhamento adequado. Entre os sinais mais comuns estão a pele de sabor muito salgado, tosse persistente, muitas vezes com catarro, infecções pulmonares frequentes, como pneumonia e bronquite, chiados no peito, ou falta de fôlego, baixo crescimento ou perda de peso, diarreia, fezes volumosas e gordurosas e obstrução intestinal.

Diagnóstico

O diagnóstico precoce é essencial para uma abordagem preventiva e terapêutica adequada que favoreçam mais qualidade de vida à criança. Um dos principais exames é o Teste do Pezinho, que deve ser feito entre o terceiro e quinto dia de vida do bebê. O Teste do Suor e testes genéticos específicos também são indicados para detectar a doença.

Tratamento

Para que o tratamento seja eficaz, a fibrose cística precisa ser diagnosticada precocemente. O tratamento é multidisciplinar e varia de acordo com a gravidade da doença e pela forma como ela se manifesta em cada paciente. O protocolo terapêutico é direcionado a tratar problemas digestivos e limpeza dos pulmões e pode incluir ingestão de enzimas digestivas para a alimentação, suplementação vitamínica (vitaminas A, D, E, K), medicamentos broncodilatadores, antibióticos, anti-inflamatórios, fisioterapia respiratória e atividade física, sempre com acompanhamento médico.

SUS oferece tratamento e suplemento nutricional

O SUS disponibiliza exames e acompanhamento e tratamento em ambulatórios especializados com equipes multidisciplinares e medicamentos indicados para o controle da doença.

No Rio Grande do Sul, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) oferece na rede pública de saúde o acesso gratuito a Fortini, suplemento nutricional produzido pela Danone Nutricia, divisão de nutrição especializada da Danone. Composto por vitaminas e minerais, Fortini é recomendado, entre outras indicações médicas, para melhora do quadro nutricional e ganho de peso em crianças entre um e 10 anos, acometidas pela fibrose cística.

A relação de medicamentos e suplementos disponibilizados pelo governo pode variar em diferentes estados e municípios e são oferecidos somente aos pacientes que possuem recomendação médica e que preencham os critérios clínicos e terapêuticos exigidos pelo Protocolo de Dispensação das Fórmulas Nutricionais Especiais .

Para ter acesso gratuito ao suplemento é necessário que a família ou o responsável pela criança ingressem com um processo administrativo junto à Secretaria Municipal de Saúde, com apresentação de documentos como identidade, certidão de nascimento, comprovante de residência, Cartão Nacional de Saúde (CNS) e laudo médico assinado.

Assim que o processo é aprovado, a retirada do produto pode ser feita em farmácias municipais credenciadas por 19 Coordenadorias Regionais de Saúde do Rio Grande do Sul, responsáveis pelo planejamento, acompanhamento e gerenciamento de serviços de saúde em todo o estado. Mais informações sobre o programa podem ser obtidas pelo site http://saude.rs.gov.br/medicamentos-especiais-da-ses-rs.

Fibrose cística em números

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a fibrose cística atinge cerca de 70 mil pessoas em todo mundo e é a doença genética grave mais comum da infância. Estimativas do Ministério da Saúde apontam que a prevalência de fibrose cística no Brasil é de aproximadamente 2 mil portadores da doença. Uma em cada 25 indivíduos carrega o gene defeituoso, que é expresso quando uma criança herda o gene RTFC defeituoso do pai e da mãe. Este fato é compatível com uma frequência observada de, aproximadamente, um em cada 2,5 mil recém-nascidos.

No Brasil, a prevalência estimada para a região sul é mais próxima da população caucasiana do centro europeu, decrescendo em direção a região sudeste e norte do País. Não há estudos epidemiológicos ou de triagem neonatal abrangentes que permitam estimar a incidência da doença no País, pois menos de 10% do total anual de casos são diagnosticados.

Sobre a Danone Nutricia
A Danone Nutricia, criada da fusão das unidades de negócio Early Life Nutrition (ELN) e Advanced Medical Nutrition (AMN) em fevereiro de 2019, chegou ao mercado com o propósito de transformar vidas por meio da nutrição. Com a união das expertises de suas unidades de negócio, tornou-se uma potência em nutrição especializada do Brasil, tendo em seu portfólio soluções nutricionais inovadoras. A Danone Nutricia é parte do Grupo Danone, cuja missão é levar saúde por meio da alimentação ao maior número de pessoas.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte