Cidades | Litorânea

Iniciadas obras de recuperação em trecho do calçadão que desmoronou

Trecho fica perto da área onde estão sendo feitos os trabalhos para implantação do sistema de tráfego BRT; detentos atuam no local
Nelson Melo / O Estado27/12/2019
Iniciadas obras de recuperação em trecho do calçadão que desmoronouReforma do calçadão do prolongamento da Litorânea foi iniciada (De Jesus / O ESTADO)

Foram iniciadas as obras de reestruturação do calçadão que cedeu na Avenida Litorânea, em São Luís, nas proximidades do Rio Pimenta, onde está sendo montado um grande palco para o Réveillon. As equipes chegaram ao local na terça-feira, 24, para os reparos no trecho do prolongamento da via. A mão de obra para os trabalhos é carcerária, pois os serviços estão sendo feitos por detentos do sistema penitenciário maranhense.

Um vendedor ambulante que trabalha perto do trecho que desmoronou disse a O Estado que a equipe chegou ao prolongamento na manhã de terça-feira, por volta das 9h. Mais de 15 detentos estão trabalhando no local, todos internos em regime semiaberto. Nas placas de divulgação espalhadas no calçadão, há a informação de que as obras são da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap), por meio do programa “Trabalho com Dignidade”.

Segundo o vendedor, demorou muito para que as obras fossem iniciadas no local. Ele contou que o problema começou em meados de maio, quando a força da maré destruiu o calçadão. “As ondas são muito fortes. Elas chegam aqui com muita intensidade. A pista fica cheia de água do mar. Aí, não tem jeito. Com o tempo, essa estrutura não aguenta, não. Já deveriam ter ajeitado isso daí há meses”, declarou o ambulante.

De acordo com um flanelinha que trabalha no prolongamento, várias pessoas se machucaram ao passarem pelo trecho precário. Inclusive, no caso mais recente, um idoso, que fazia caminhada, caiu e quase bateu a cabeça nas pedras. “Acho que ele tinha uns 70 anos. Deve ter se distraído. Ele estava sozinho e nós o ajudamos a se levantar. O braço dele ficou machucado. Isso aí é um perigo. Agora que estão consertando. Ainda bem que ninguém morreu”, contou o guardador de carros.

Medo nos pedestres
O calçadão desgastado deixou os pedestres preocupados. Para quem pratica exercícios físicos na extensão da Avenida Litorânea, o risco de uma queda era grande. O cabeleireiro Carlos Alberto, que faz caminhada quase todos os dias na região, disse que estava evitando passar pelo trecho. “Uma vergonha isso. Passaram esse tempo todo para consertarem. Agora que estou voltando. Se não fosse a festa de Réveillon, quando isso seria feito?”, questionou o profissional.

Trecho desgastado
Em outubro deste ano, O Estado denunciou a situação. No local, foi verificado que o concreto do piso desmoronou e gerou um desnível no calçadão, com várias pedras em evidência, incluindo algumas com formato pontiagudo. O trecho precário fica ao lado da reestruturação da Litorânea, que interligará as praias de São Marcos, Calhau, Caolho e Olho d’Água, como parte do processo de implantação do sistema de tráfego do Transporte Rápido por Ônibus (BRT).

O problema teria se originado devido à força da maré, que, de tanto invadir a parte da calçada, acabou desestabilizando a estrutura. Aos poucos, as pedras se desprenderam, o que criou as rachaduras. “E pior que isso está acontecendo ao lado dessas obras aí, do prolongamento. Quer dizer, enquanto há trabalhadores bem ali, aqui a situação só piora”, observou um vendedor de coco.

Situação de 2014
Em fevereiro de 2014, uma erosão costeira causou a destruição do pavimento do prolongamento da Litorânea, na via de passeio de pedestres, no trecho de 600 metros, que havia sido entregue em dezembro de 2012. Uma parte do calçadão foi “engolido” pela cratera.

Extensão da avenida
Perto do calçadão que cedeu, continua sendo feito o trabalho de reestruturação da Avenida Litorânea, que vai interligar as praias de São Marcos, Calhau, Caolho e Olho d’Água. Existe a previsão de entrega da primeira fase das obras em dezembro deste ano. O objetivo é implantar o BRT, que tem aspecto intermunicipal, sendo que contará com dois terminais de integração. Para esse projeto de mobilidade urbana, os veículos, que percorrerão um corredor exclusivo com sistema de semáforos ininterruptos, serão biarticulados.

Devido à implantação desse sistema de tráfego binário do BRT, está ocorrendo a requalificação da orla da Litorânea.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte