Cidades | Patrimônio mundial

Título ao Bumba meu boi é festejado e ganha repercussão nas redes sociais

Após confirmação pela Unesco, nesta quarta, em Bogotá, artistas, políticos e autoridades comemoraram; ações de salvaguarda vão ser reforçadas
12/12/2019

O Bumba meu boi do Maranhão está em outro patamar. A celebração, que movimenta a economia local por meio do turismo, foi reconhecida pelo Comitê Intergovernamental para a Salvaguarda da Unesco como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. O grupo se reuniu em Bogotá, na Colômbia, nessa quarta-feira, 11, para esse propósito. A votação foi unânime. Não houve dúvidas quanto a isso no momento da votação. A manifestação cultural maranhense, que é uma prática secular e repleta de significados, a partir de agora, é mundial. A conquista foi comemorada por autoridades políticas e representantes do Bumba meu boi, que esperavam ansiosamente pelo momento de esplendor. Nas redes sociais, várias pessoas se manifestaram. Autoridades e intelectuais exaltaram o nosso Bumba meu boi.

Bumba meu boi maranhense é exaltado pela Unesco, em Bogotá

O diretor do Departamento de Patrimônio Imaterial (DPI-Iphan), Hermano Queiroz, presente na reunião da Unesco, celebrou o resultado. “Foi grande o trabalho e longo o caminho percorrido para se chegar a esse momento. O Complexo Cultural possui criatividade ímpar, sendo uma das manifestações mais importantes do país e agora também de toda a Humanidade. Em 2011, o Complexo Cultural do Bumba meu boi do Maranhão recebeu o reconhecimento nacional e, um ano depois, na solenidade de titulação realizada em São Luís, o Comitê Gestor da Salvaguarda do Bumba meu boi entregou ao Iphan o documento solicitando a inscrição na Lista Representativa da Unesco.

O ministro do turismo, Marcelo Álvaro Antônio, comemorou o reconhecimento da Unesco e destacou que a decisão só reafirma a riquíssima cultura brasileira, que merece ser conhecida por todo o mundo. Para o ministro, o Maranhão é extremamente rico em atrativos culturais e naturais. “Essa diversidade está organizada em dez polos turísticos, cada um com suas vertentes naturais, culturais e arquitetônicos. E o Bumba meu boi retrata toda essa diversidade, pois congrega diversos bens associados em uma única manifestação: performances musicais e teatrais, design e artesanato. É um bem que sintetiza toda a riqueza cultural que o nosso país possui”, afirmou.

Sobre o título, o ex-presidente José Sarney mostrou-se satisfeito e lembrou dos incentivos a essa expressão cultural. “Marco da história cultural do Maranhão, os folguedos populares são os mais ricos e mais autênticos. O Bumba meu boi é, sem dúvida, o mais rico de todos pela beleza das cores, dos sons, da dança, da música, desdobra-se em sotaques dos folguedos populares, das cantigas, das toadas, a beleza lírica das despedidas, o guarnicê, da variedade de bordados, das fantasias do boi, ao longo do tempo sofrendo a influência das circunstâncias do dia a dia. Quando fui governador, o Bumba meu boi era tido como brincadeira de caboclos que não podia passar do João Paulo. Foi naquele tempo que fizemos com que toda a cidade de São Luís fosse um terreiro gigante, tradicional do Bumba boi, inclusive levando o primeiro grupo para quebrar preconceitos, para dançar no Palácio dos Leões. Roseana, com sua identidade popular, quando governadora, quando essa festa popular estava em decadência, a fez nascer, através do incentivo aos cordões e brincadeiras, como vulgarmente se chama, espalhando o esplendor que tem hoje seus folguedos maranhenses, o mais marcante, o Bumba meu boi. E agora Kátia Bogea, na presidente do Iphan, ela que tanto trabalhou pela nossa cidade, elaborou o projeto para a Unesco, propondo o reconhecimento do Bumba meu boi como Patrimônio Cultural da Humanidade. A cidade já é Patrimônio Cultural da Humanidade, com sua beleza física e agora ingressa em patrimônio, aquele que é marcante no Maranhão, única deusa que erigimos estátua, que é a deusa da Cultura.”

Apaixonada pelas manifestações culturais do Maranhão, a ex-governadora Roseada Sarney exaltou o título de Patrimônio Cultural Imaterial outorgado ao Bumba meu boi. “É um reconhecimento muito justo concedido ao Bumba meu boi, que é a expressão maior da nossa cultura popular. É mais um importante instrumento para que o Brasil e mundo possam conhecer melhor esse valor inestimável do Maranhão, suas músicas, suas indumentárias, seus sotaques e sua história”, assinalou.

Roseana destacou ainda a importância da manifestação como mecanismo de expressão do povo maranhense. “O bumba meu boi sempre esteve atrelado a assuntos da atualidade, à crítica social, seja por meio de suas toadas ou até mesmo estampado no bordado dos bois”, pontuou a ex-governadora.

A decisão também foi comemorada pelo secretário Especial da Cultura, Roberto Alvim. “É o Brasil mostrando a força de sua cultura para o mundo. Esse reconhecimento não só fortalece o Bumba meu boi do Maranhão como expressão cultural, garantindo a preservação deste bem, mas vem para agregar valor a esse imenso e rico repertório cultural que temos no Brasil e que, cada vez mais, tem sido valorizado mundialmente”, disse ele.

O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Junior (PDT) se manifestou em suas redes sociais sobre a conquista do título de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco pelo bumba meu boi. “Parabenizo todos os grupos e todos os apreciadores dessa brincadeira que é tradição no Maranhão e que agora recebe oficialmente reconhecimento mundial”, disse o prefeito de São Luís.

Expressão cultural maranhense atrai milhares de brincantes para exaltar seus santos e levar a alegria em sotaques ritmados a todos os arraiais

Fé e arte
Ainda que existam formas de expressão similares em outros estados brasileiros, no Maranhão, o Bumba meu boi se diferencia por se constituir num complexo cultural que compreende uma variedade de estilos, multiplicidade de grupos e, principalmente, porque estabelece uma relação intrínseca entre a fé, a festa e a arte, fundamentada na devoção aos santos juninos, nas crenças em divindades de cultos de matriz africana e na cosmogonia e lendas da região.

O bem cultural está em acordo com os conceitos da Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da Unesco de 2003. É uma mistura de devoção, crenças, mitos, alegria, cores, dança, música, teatro e artesanato, além dos diversos estilos de brincar, chamados de sotaques que, em geral dividem-se em cinco: baixada, matraca, zabumba, costa-de-mão e orquestra. Contudo, estes estilos não são os únicos e existem ainda muitas variações, assim como os grupos criados a partir de releituras dos grupos tradicionais.

A inscrição na lista da Unesco proporcionará ao Bumba meu boi maior visibilidade, contribuindo para reforçar a imagem culturalmente diversificada do Brasil no exterior, como também incentivar a criatividade humana e o respeito à diversidade cultural, sendo um fator a mais de mobilização dos praticantes do Bumba-meu-boi. “Esses grupos poderão, ainda, usar esse reconhecimento internacional como instrumento de ampliação do acesso às políticas públicas de fomento à cultura, de sensibilização das autoridades acerca de seu valor e importância e, também, de reivindicação de seus direitos coletivos”, afirma Mauricio Itapary, superintendente do Iphan no Maranhão.

PLANO DE SALVAGUARDA

Com a entrada para a lista da Unesco, as ações de Salvaguarda já desenvolvidas pela comunidade, em conjunto com o Iphan e entidades parceiras serão reforçadas e buscarão fortalecer a autonomia dos grupos, promover mais ações de educação patrimonial, realizar nova documentação, além de ampliar pesquisas e a valorização do bem cultural.

O Complexo Cultural do Bumba meu Boi é o sexto bem brasileiro a integrar a lista internacional junto com a Arte Kusiwa - Pintura Corporal e Arte Gráfica Wajãpi (2003), o Samba de Roda no Recôncavo Baiano (2005), o Frevo: expressão artística do Carnaval de Recife (2012), o Círio de Nossa Senhora de Nazaré (2013) e Roda de Capoeira (2014).

BUMBA MEU BOI

O Bumba meu boi do Maranhão é uma celebração múltipla que congrega diversos bens culturais associados, divididos entre plano expressivo, composto pelas performances dramáticas, musicais e coreográficas, e o plano material, composto pelos artesanatos, como os bordados do boi, confecção de instrumentos musicais artesanais, entre outros. Em todo seu universo, destaca-se também a riqueza das tramas e personagens. O Complexo Cultural do Bumba meu boi do Maranhão foi inscrito no Livro de Registro de Celebrações, em 2011.

Profundamente enraizado no cristianismo e, em especial, no catolicismo popular, o bumba meu boi envolve a devoção aos santos juninos São João, São Pedro e São Marçal, que mobilizam promessas e marcam algumas datas comemorativas. Os cultos religiosos afro-brasileiros do Maranhão, como o Tambor de Mina e o Terecô, também estão presentes nessa celebração, uma vez que ocorre o sincretismo entre os santos juninos e os orixás, voduns e encantados que requisitam um boi como obrigação espiritual. O bumba meu boi é uma festa tradicional em que a figura do boi é o elemento central, porém reúne diversas outras manifestações culturais e assim se configura como um vasto “complexo cultural”.

Muitas vezes definido como um folguedo popular, o bumba meu boi extrapola o aspecto lúdico da brincadeira para fazer sentido como uma grande celebração em cujo centro gravitacional encontram-se o boi, o seu ciclo vital e o universo místico-religioso. É vivenciado pelos brincantes ao longo de todo o ano. As apresentações dos Bois ocorrem em todo o estado do Maranhão e concentram-se durante os festejos juninos. Seu ciclo festivo e de apresentações pode ser apreendido em quatro etapas: os ensaios, o batismo do boi, as apresentações e a morte. Comporta diversos estilos de brincar - chamados de sotaques - sem que, contudo, se tornem manifestações distintas.

Em geral, dividem-se os sotaques em cinco - baixada, matraca, zabumba, costa-de-mão e orquestra - contudo, estes estilos não são os únicos e existem ainda muitas variações, assim como os bois alternativos. Alguns aspectos intrinsecamente relacionados à celebração são o boi, a festa, os rituais, a devoção aos santos associados à manifestação, as músicas, as danças, as performances dramáticas, os personagens, os artesanatos e demais ofícios, os instrumentos, os diversos estilos (sotaques) de brincar o bumba meu boi e o caráter lúdico.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte