Cidades | Em São Luís

Período de fim de ano exige maior atenção no trânsito em ruas do Centro

Apesar de ações de reforço realizadas na área, pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), reclamações ainda são frequentes
MONALISA BENAVENUTO / O ESTADO11/12/2019
Período de fim de ano exige maior atenção no trânsito em ruas do Centro Agentes da SMTT tentam disciplinar o trânsito no Centro, no entorno da Rua Grande, onde há maior movimento (De Jesus / O ESTADO)

Maior atenção dos órgãos de fiscalização de trânsito para evitar congestionamentos e desentendimentos entre condutores, flanelinhas e motoristas de transporte alternativo, que comumente atuam no Centro de São Luís. Apesar dos reforços realizados na área, pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), em diversas frentes, reclamações ainda são frequentes por quem frequenta, trabalha e visita a região.

Longas filas, travessias em locais impróprios, dificuldade para estacionar são as principais queixas de quem vai ao Centro, principalmente durante o período de fim de ano, isso porque, por ser considerada uma importante área comercial de São Luís, a região atrai centenas de consumidores para as compras de Natal e Ano Novo. Enquanto esteve no Centro, O Estado identificou equipes da SMTT em diversos pontos, como na Igreja de São João, Praça da Alegria, ruas de Santana e Santaninha, onde os maiores transtornos são causados pelas vagas de estacionamento.

De acordo com o superintendente de transportes da SMTT, Marlus Melo, que participava das ações, entre os problemas mediados pelo órgão com mais frequência, naquela região, destaca-se o transporte irregular de passageiros, os carrinhos, como são popularmente conhecidos os táxis-lotação. Segundo ele, para inibir a ação do serviço no Centro, as equipes têm atuado em trechos da Avenida Senador Vitorino Freire, Anel Viário e Mercado Central. “Nosso foco é coibir esta prática no Centro, principalmente no entorno da Rua Grande, onde a movimentação costuma ser maior nesta época. Além disso, temos trabalhado no ordenamento de pontos de estacionamento e de táxi, que retornaram à Rua de Santaninha, por exemplo”, explicou.

Apesar das intervenções da secretaria, reivindicações são comuns entre condutores de veículos e pedestres que vão ao Centro. Para o motorista Antônio Carvalho a atuação é insuficiente no disciplinamento do trânsito. “Aqui é muito engarrafado, muito mesmo. Têm de ter mais guardas de trânsito. A gente tem muita dificuldade em dar passagem para os pedestres porque os outros motoristas são incompreensíveis”, reclamou.

Para o eletricista João Alves a dificuldade em encontrar vagas para estacionamento é o que mais prejudica o trânsito na região. “O fluxo de pessoas aumenta demais nesse período de fim de ano e fica complicado trafegar por aqui. Corre o risco de atropelar pedestre em toda rua. Falta um pouco de organização, definição dos espaços de estacionamento e retirar barracas das calçadas para que o acesso fique livre para os pedestres”, sugeriu o condutor.

Sobre a situação, O Estado manteve contato com a SMTT que, por meio de nota, informou que serão destacados agentes de trânsito, em motocicletas e viaturas, para atuarem em fiscalização em vários pontos de grande fluxo de trânsito de veículos em função das festividades de Natal e Ano Novo, no centro da capital. A SMTT ressaltou ainda que a ação de orientação do tráfego e disciplinamento de estacionamentos, terá como foco as áreas da Rua de Santana, Rua do Outeiro, entorno da Praça Deodoro e de outros locais, assim como será estendida para a proximidade dos shopping centers (cujo fluxo de veículos possa afetar o tráfego das vias próximas).

A Secretaria comunicou, também, que vai atuar com operações de combate ao transporte irregular de passageiros nesse período, destacando, também, ações na área central da cidade. E que, todos os casos de veículos encontrados em desacordo com a lei nessas ações de trânsito e transportes, estarão sujeito às autuações devidas, conforme determina o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e legislação municipal concernente.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte