Polícia | Investigação

Taxista foi morto a facadas após reconhecer um dos bandidos

Os quatro autuados residem na Divineia, onde a vítima foi torturada e executada a facadas; os acusados Gabriel "Piloto" e "Vovozinha" continuam foragidos
Nelson Melo / O Estado03/12/2019
Cosme Antonio de Sousa e Sousa, 21 anos, acusado de esfaquear o taxista

O taxista José Manoel Rebelo Sousa, de 61 anos, foi morto com golpes de faca no pescoço, depois de ter reconhecido um dos autores, identificado como Cosme Antonio de Sousa e Sousa, de 21 anos, conforme a Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP). A investigação descobriu, com base nas declarações dos autuados, que a vítima - encontrada enterrada em uma cova rasa no bairro Divineia, em São Luís, no último domingo, 1° - teria ameaçado entregá-lo à polícia e à facção criminosa que predomina naquela região. Quatro suspeitos foram capturados, incluindo dois adolescentes.

Como explicou o delegado Felipe Freitas, da SHPP, inicialmente, os autores planejaram assaltar um taxista no bairro Cohab-Anil. A trama foi idealizada na manhã de sábado, 30, na quitinete onde estava morando Cosme, na Divineia, nas proximidades de onde a vítima residia, na 2ª Travessa Argentina. O encontro entre os envolvidos aconteceu no cativeiro, na Rua Argentina. No local, depois de tudo decidido acerca do crime, ficaram Antonio de Sousa e Sousa e um adolescente, que se posicionou como “olheiro”, para verificar a presença de viaturas.

Felipe Freitas disse que outro adolescente, Gabriel, conhecido como “Piloto”, e uma mulher identificada como “Vozinha” ou “Vovozinha” saíram em um carro, para roubar o taxista na Cohab-Anil, já no turno vespertino. “No meio do percurso, esse grupo mudou de plano e, por algum motivo, decidiu roubar um táxi no Olho d’Água, perto de um supermercado. Isso aconteceu sem que os demais que ficaram no cativeiro soubessem dessa mudança”, contou o delegado.

Em seguida, narrou o delegado, o grupo chegou com José Rebelo, que foi amarrado nas mãos e nos pés, e jogado no cativeiro onde Cosme e o adolescente estavam aguardando. Depois, Gabriel saiu com o veículo da vítima, para não chamar a atenção da facção criminosa que atua na Divineia. Mais tarde, “Piloto” retornou com o automóvel. “Aí, ele levou Cosme junto para fazerem assaltos na cidade. No local, ficaram os dois adolescentes”, pontuou Felipe Freitas.

Tiego Medeiros Silva foi autuado pelo crime

Compras no cartão

Nesse intervalo, Cosme fez contato telefônico com um dos adolescentes para saber como a vítima estava se comportando. Conforme o delegado da SHPP, um dos que ficaram no cativeiro torturou o taxista para que este falasse a senha do cartão de crédito. Com a senha disponível, ele saiu e teria comprado duas camisas em uma loja da capital. “O menor voltou e pegou outro cartão de José Rebelo. Ele sacou R$ 30. Com esse dinheiro, pagou um mototáxi para levá-lo até um shopping, onde fez várias compras (celular, roupas, relógios) com o cartão do taxista”, observou Felipe Freitas.

Mais tarde, o grupo se reuniu novamente na quitinete de Cosme Antonio, exceto um dos adolescentes, que ficou vigiando a vítima no cativeiro. No quarto, o grupo fez a divisão de tudo o que foi comprado com o cartão do taxista. Até a namorada de um dos autores recebeu um par de sandálias preta, segundo o delegado.

Morte da vítima

Nesse segundo encontro, um dos jovens deu a sugestão para que matassem José Rebelo, pois este teria dito que reconheceu Cosme e que o entregaria à polícia e também à facção. Então, os dois adolescentes cavaram a cova na residência abandonada. O delegado disse que, segundo esses rapazes, quem aplicou as facadas no pescoço do taxista foi Cosme, que negou ao afirmar que não concordou em assassinarem a vítima, com medo, talvez, de ser punido pelos faccionados da região.

Um dos adolescentes apreendidos confessou que, antes de levar as facadas, o taxista foi sufocado com um saco plástico na cabeça. O carro da vítima, como frisou o delegado, foi encontrado na madrugada de ontem, 2, em um terreno baldio no bairro Santa Clara, na capital.

Autuação de quatro

Após investigação, foram capturados, ainda no domingo, Cosme Antônio, Tiego Medeiros Silva, 32, e os dois adolescentes. Gabriel “Piloto” e “Vovozinha” continuam foragidos. “Os dois menores de idade foram autuados por infração análoga aos crimes de latrocínio, ocultação de cadáver e associação criminosa. Cosmo foi autuado por latrocínio, ocultação de cadáver e associação criminosa qualificada. Já Tiego foi autuado por participação na ocultação de cadáver, pois emprestou a pá utilizada para cavar a cova rasa”, explicou o delegado da SHPP.

Contra Tiego também há um mandado de prisão, como foi descoberto no Plantão de Polícia Civil do Cohatrac, para onde ele foi conduzido antes de ser levado à SHPP. “Importante destacar que essas informações iniciais, que foram apuradas sobre a morte do taxista, foram reveladas pelos conduzidos, principalmente, pelo Cosme, cujas declarações parecem ter mais veracidade, durante os depoimentos. As investigações ainda serão aprimoradas, para que o latrocínio e a ocultação do cadáver sejam devidamente elucidados”, assinalou Felipe Freitas.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte