Polícia | Morte

Total de feminicídios no Maranhão este ano supera números do DF

Uma mulher foi assassinada a cada semana no Maranhão; no DF, foi um caso a cada 13 dias; último registro por lá tem como acusado um foragido de Pedrinhas
28/11/2019
Total de feminicídios no Maranhão este ano supera números do DFDanilo Moraes Gomes é acusado de matar a irmã, Sandra Moraes (Divulgação)

São Luís - O Maranhão registrou um caso de feminicídio a cada sete dias este ano. É o que apontam os números registrados pela polícia, que, até o momento, contabiliza 47 ocorrências. A taxa supera em quase o dobro o índice registrado no Distrito Federal (DF), onde a média é de uma ocorrência desse tipo de crime a cada 13 dias, tendo sido registrados 32 casos em 2019. Um dado curioso é que o crime de feminicídio mais recente praticado no DF tem como acusado um foragido do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, Danilo Moraes Gomes, que até a noite desta quarta-feira, 27, não tinha sido preso.

De acordo com a polícia do DF, Danilo Moraes é suspeito de ter assassinado por estrangulamento a própria irmã, a cabeleireira Sandra Maria Sousa Moraes, de 39 anos, em companhia do filho da vítima, Brendo Sousa Moraes, de 21 anos. O ato bárbaro ocorreu durante a noite do dia 23 deste mês, no Assentamento 26 de setembro, em Vicente Pires. Ele também é acusado de ter violentado sexualmente e mantido em cárcere privado a própria sobrinha, nome não revelado.

Investigação

O caso está sendo investigado pelos agentes da 38ª Delegacia de Polícia Civil de Vicente Pires. O delegado titular, Yuri Fernandes, informou que a polícia ficou sabendo do fato somente após a denúncia feita pela filha da cabeleireira, na segunda-feira, 25. Ela revelou que o seu tio Danilo tinha assassinado Sandra Maria e que eles planejavam manter a história em segredo, inclusive sugeriram que morassem os três na casa que era dela.

A filha da vítima também afirmou em seu depoimento na delegacia que foi molestada e mantida em cárcere privado dentro de sua residência por dois dias. Ela somente conseguiu fugir quando Danilo Moraes saiu para ir ao serviço, na segunda-feira, 25, e contou com a ajuda de uma amiga, não identificada.

O delegado informou que ainda na segunda-feira os policiais se deslocaram até a residência da vítima onde prendeu Brendo Moraes, que mostrou o local em que estava o corpo da cabeleireira, enquanto o outro acusado conseguiu fugir do cerco policial.

“Ele ajudou o tio a esconder os restos mortais da mãe e está preso preventivamente por ocultação de cadáver”, explicou Yuri Fernandes.

Ele também declarou que a cabeleireira foi estrangulada com um fio de conexão de internet e enterrada em um terreno baldio, no Assentamento 26 de setembro. Entre as hipóteses da motivação do crime está a venda e compra de lotes no assentamento, feitas por Danilo Moraes. “Há possibilidade de Sandra ter tentado interferir nessa atividade, mas a motivação pode ter sido outra também”, disse Yuri Fernandes.

Foragido

A polícia informou que Danilo Moraes foi morar no Distrito Federal a convite da irmã, mesmo sendo procurado pela Justiça do Maranhão. Ele cumpria pena no Complexo Penitenciário de Pedrinhas pelo crime de homicídio, estupro e roubo, mas conseguiu fugir.

Ainda segundo a polícia, no dia 19 de junho de 2011, ele conseguiu atrair Geane Sousa de Jesus para uma área de matagal, na cidade de Zé Doca, onde realizou a empreitada criminosa. Ela foi morta também por estrangulamento e teve a sua motocicleta roubada. O criminoso utilizou fio de internet.

Números

47 crimes de feminicídio ocorreram neste ano no Maranhão

32 casos desse tipo de crime foram registrados pela polícia no Distrito Federal

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte