Polícia | Criminalidade

56 casos de latrocínio de janeiro a setembro deste ano no Maranhão

Dados são do Monitor da Violência; no mês setembro foram oito casos desse tipo de crime no estado e a média mensal é de sete ocorrências
27/11/2019
56 casos de latrocínio  de janeiro a setembro deste ano no MaranhãoUm dos últimos casos, no Centro de São Luís, ainda não está contabilizado no levantamento (De Jesus / O ESTADO)

Números da violência continuam altos no Maranhão. Um total de 56 crimes de latrocínio (roubo seguido de morte) ocorreram nos nove primeiros meses deste ano no Maranhão, segundo dados do Monitor da Violência. A média é de sete casos por mês. No mesmo período do ano passado, foram 53 ocorrências. Durante todo o ano de 2018, houve 71 casos desse tipo de crime em todo o estado.

Os dados do Monitor da Violência foi criado pelo site G1 em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (USP) e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e são divulgados de forma mensal as mortes violentas (homicídios, latrocínio e lesão corporal seguido de morte), que ocorreram no país.

O levantamento revelou, ainda, que ocorreram 1.168 casos de latrocínio durante os primeiros nove meses deste ano no Brasil. Somente, em setembro, o registro foi de 111 ocorrências. No Maranhão, no decorrer desse período, oito casos ocorreram, enquanto em setembro de 2018, foram quatro registros, ou seja, apenas a metade.

Janeiro continua sendo o mês deste ano com o maior número de ocorrência de latrocínio no estado maranhense, com 11 casos. Em fevereiro teve apenas um registro. Já o mês de março, oito casos; abril, cinco; maio, quatro; junho, seis, julho, quatro e o mês de agosto, ocorreram nove casos.

Pleno centro

O último caso de latrocínio, ocorrido no dia 4 deste mês em pleno centro de São Luís, ainda não foi contabilizado no levantamento. O caso teve como vítima o vendedor William Araújo Braga, de 55 anos. De acordo com a polícia, um casal de bandidos tentou assaltar uma loja de ourives, localizada na Rua da Paz, e baleou o vendedor no peito e no abdômen como ainda fez duas pessoas reféns e acabou mobilizando um forte aparato policial.

Um dos envolvidos foi preso e identificado como Cleyton Pinto Vasconcelos, de 34 anos, e apresentado no Plantão de Polícia das Cajazeiras, no centro. Ele declarou para a polícia que portava uma pistola 380 e estava em companhia de uma mulher, que conseguiu fugir do cerco policial.O detido também disse que, primeiramente, abordou os proprietários desse estabelecimento comercial, Antônio Carlos e Eliete Silva, mas acabou sendo surpreendido por William Braga, que portava um pedaço de madeira.

Em seguida, ele efetuou vários tiros e acabou alvejando William Braga, que foi levado para o Hospital Municipal Socorrão I,onde veio a falecer. A polícia informou que esse criminoso já tinha sido preso em Turiaçu, no dia 7 de julho de 2014, suspeito de crime de roubo. Há suspeita que esse criminoso participou da explosão dos caixas eletrônicos do Banco do Brasil de Rosário, ocorrido no mês de julho deste ano.

Fique por Dentro

Crimes de latrocínio este ano no Maranhão

Janeiro: 11 casos

Fevereiro: 1 caso

Março: 8 casos

Abril: 5 casos

Maio: 4 casos

Junho: 6 casos

Julho: 4 casos

Agosto: 9 casos

Setembro: 8 casos

Fonte: Monitor da Violência

Número

56 crimes de latrocínio já ocorreram de janeiro deste ano até o mês de setembro no estado

Saiba Mais

Execução
A polícia até a tarde de terça-feira, 26, não havia efetuado a prisão do trio criminoso acusado de ter executado Thaylisson Viana Santos, o Lourinho, de 26 anos, na noite da última segunda-feira, 25, no Jardim Primavera, área do Iguaíba, em Paço do Lumiar.

Segundo a polícia, a vítima foi baleada na perna e no tórax quando estava dentro de sua residência, enquanto, os suspeitos tomaram rumo ignorado. Há possibilidade desse crime ter sido realizado por integrantes de facção criminosa. A equipe da SHPP ainda foi ao local, mas nenhum morador falou sobre o assunto com receio de sofrer algum tipo de retaliação.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte