Polícia | Revolta

Família revoltada com a saída da cadeia do assassino confesso do pastor

A decisão judicial colocou em liberdade Saulo Nunes, que estava preso desde o mês passado, em Pedrinhas, e os parentes do evangélico pedem que seja revogada e pretendem realizar protesto
08/11/2019

São Luis - Os familiares do pastor evangélico, Mackson da Silva Costa, de 37 anos, que foi morto a golpes de faca, estão revoltados com a decisão da Justiça que colocou em liberdade Saulo Pereira Nunes, de 38 anos, no último dia 6, e pretendem realizar um ato de protesto na sexta-feira, 8, na Barragem do Bacanga. A polícia informou que Saulo Nunes estava preso desde o dia 14 do mês passado, em Pedrinhas, suspeito de ter assassinado o evangélico. A vítima tinha desaparecido no dia 11 de outubro e somente no dia 14 que a polícia encontrou o corpo enterrado em uma cova, no quintal da residência do acusado, no Maiobão, em Paço do Lumiar.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte