Geral | Operação Mácula

Navio grego é suspeito no caso das manchas no Nordeste

Embarcação carregou 1 milhão de barris de petróleo na Venezuela; Bouboulina zarpou em 18 de julho e passou pela costa brasileira no dia 28. Manchas começaram a aparecer pouco mais de um mês depois na Paraíba
02/11/2019

BRASÍLIA - O petroleiro grego suspeito de derramar o óleo que causou o maior desastre ambiental já registrado na costa brasileira se chama Bouboulina. Ele carregou 1 milhão de barris do petróleo tipo Merey 16 cru no Porto de José, na Venezuela, no dia 15 de julho. Zarpou no dia 18 com destino à Malásia.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte