Esporte | Medalha no peito

Maranhense comemora feito histórico com medalha olímpica

José Carlos Moreira, o "Codó", recebe medalha das Olimpíadas de Pequim 11 anos depois e fala com exclusividade a O Estado sobre a emoção do feito histórico
Eduardo Lindoso / O Estado01/11/2019

SÃO LUÍS - Depois de 11 anos de espera, o Maranhão, enfim, recebeu a sua terceira medalha olímpica. Isso porque, nesta quinta-feira (31), na Suíça, o maranhense José Carlos Moreira, o “Codó”, recebeu a medalha de bronze referente à conquista dos 4x100 masculino no atletismo das Olimpíadas de Pequim 2008. A medalha, que já havia sido reconhecida em janeiro de 2017, veio após comprovação de doping do velocista Nesta Carter, da equipe da Jamaica, que levou o ouro na competição. Com a reclassificação, o ouro ficou com Trinidad e Tobago e a prata com o Japão. Em entrevista exclusiva a O Estado, o atleta falou sobre esse momento histórico, reconheceu a angústia pela espera e disse que acredita que esse feito pode abrir portas para novos talentos do esporte do Maranhão.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte