Cidades | Diz CNT

São necessários R$ 2,2 bi para recuperar a malha rodoviária do Maranhão, diz CNT

Pesquisa da CNT afirma que valor cobriria gastos emergenciais, manutenção e reconstrução; 213 pontos críticos foram identificados em rodovias do estado
Daniel Matos / coordenador de Reportagem24/10/2019
São necessários R$ 2,2 bi para recuperar a malha rodoviária do Maranhão, diz CNTTrecho da BR-316, entre Zé Doca e Araguanã; estrada foi parcialmente recuperada, mas precisa de obras, como outras que cortam o Maranhão (Divulgação)

A Pesquisa CNT de Rodovias 2019, divulgada na terça-feira, 22, pela Confederação Nacional de Transportes (CNT), aponta a necessidade de um investimento de R$ 2,2 bilhões para recuperar a malha viária do Maranhão. De acordo com o levantamento, o montante bilionário cobriria gastos com ações emergenciais, de manutenção e de reconstrução das estradas federais e estaduais que cortam o estado. A pesquisa identificou 213 pontos críticos nessas vias, sendo 10 erosões na pista, duas quedas de barreira e 201 trechos com buracos grandes.

A Pesquisa CNT de Rodovias avaliou toda a malha federal pavimentada e os principais trechos estaduais, também pavimentados. Em 2019, foram analisados 4.633 quilômetros no Maranhão, de um total de 108.863 quilômetros em todo o Brasil. De acordo com o levantamento, 70,7% da malha rodoviária pavimentada apresenta algum tipo de problema, com qualificação regular, ruim ou péssima. Exatos 29,3% da malha é considerada ótima ou boa.

O pavimento apresenta problemas em 64,5% da extensão avaliada. A condição satisfatória do asfalto foi constatada em 35,5% dos trechos. Em 8,2%, o pavimen­to está destruído. Quanto à sinalização, 74,6% são considerados regulares, ruins ou péssimos. A classificação ótima ou boa foi atribuída a 25,4%. A faixa central é inexistente em 22,5% da extensão e as faixas laterais não existem em 24,3%.

Em relação à geometria da via, 59,3% da extensão é deficitária e 40,7% ótima ou boa. As pistas simples predominam em 98,5%. Falta acostamento em 40,6% dos trechos avaliados. Nos trechos com curvas perigosas, em 57,5% não há acostamento nem defensa.

Pontos críticos
A pesquisa identifica 213 pontos críticos na malha rodoviária do Maranhão, sendo 10 erosões na pista, duas quedas de barreira e 201 trechos com buracos grandes. As condições do pavimento geram um aumento de custo operacional do transporte de 36,5%, o que reflete na competitividade e no preço dos produtos.

Diante de tantos problemas identificados, estima-se que seja necessário um investimento de R$ 2,2 bilhões para recuperar as rodovias no Maranhão, com ações emergenciais, de manutenção e de reconstrução. Este ano, do total de R$ 178,77 milhões em recursos autorizados pelo Governo Federal para infraestrutura rodoviária especificamente no Maranhão, foram investidos R$ 124,50 milhões até setembro (69,6%).

Acidentes
O prejuízo gerado pelos acidentes foi de R$ 251,18 milhões em 2018. No mesmo período, o governo gastou R$ 244,04 milhões com obras de infraestrutura rodoviária de transporte.

No quesito meio ambiente, estima-se que em 2019 haverá um consumo desnecessário de 48 milhões de litros de diesel devido à má qualidade do pavimento das rodovias do Maranhão. Esse desperdício custará R$ 170,06 milhões aos transportadores.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte