Polícia | Barbárie

Três trabalhadores são executados em menos de 12 horas na Grande Ilha

Entre as vítimas, o administrador do Mercado da Cohab, assassinado por um feirante por causa de bancas; dois homens mortos por faccionados, em Santana
Ismael Araújo18/10/2019
Dimas Garcia Araújo no local onde ocorreu o homicídio

Três pessoas foram executadas em menos de 12 horas na Grande Ilha. Uma das vítimas foi o professor e administrador do Mercado Municipal da Cohab, Dimas Garcia Araújo, de 39 anos. Segundo a polícia, a vítima foi atingida com cinco tiros disparados pelo feirante Nillson Nascimento, o Ratão, na manhã de ontem. Eles tinham se desentendido devido questões relacionadas ao mercado.

O subtenente Campos, lotado no 20º Batalhão da Polícia Militar, informou que o mercado vai passar por uma reforma e a cada feirante foi designado pelo menos duas bancas instaladas nas proximidades da feira. Há informações de que o acusado tem três boxes e não estava satisfeito com essa determinação da coordenação do mercado. “O acusado teria ganho duas bancas e tinha ficado revoltado” disse o policial.

Ainda na tarde de quarta-feira, 16, a vítima e o acusado chegaram a discutir e houve interferência dos outros feirantes. Na manhã de ontem, eles brigaram mais uma vez que acabou no assassinato. Uma das balas atingiu o coração de Dimas Garcia, que morreu no local e o acusado fugiu de bicicleta. Ele reside na Vila Isabel Cafeteira e até o início da tarde não havia sido preso.

O Serviço de Atendimento Móvel e de Urgência (Samu) foi acionado, assim como policiais militares, peritos do Instituto de Criminalística (Icrim) e policiais da Superintendência de Homicídios e Proteção a Pessoas (SHPP), que iniciaram ontem mesmo as investigações, ouvindo testemunhas.

João Araújo, irmão da vítima, que esteve no local estava fortemente abalado. Ele disse que foi informado da barbárie por meio dos feirantes e que não estava acreditando que o seu irmão tinha sido morto dessa maneira.

Ainda de acordo com João Araújo, a vítima era militante do Partido Democrático Trabalhista (PDT), lecionava na área rural da capital e estava na coordenação do mercado há três anos. “A família tinha ciência de que ele era querido e não tinha inimigos. No mês passado nasceu a segunda filha dele”, comentou o irmão da vítima.

Genildes Lima, que é funcionária da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), disse que os feirantes ficaram apavorados com a reação de Nilson, que deve pagar pelo ato que cometeu. “Ele tirou a vida de um cidadão que era querido pelos feirantes da Cohab”, desabafou a servidora do município.

O corpo de Dimas Araújo foi velado na sua residência, no bairro Andiroba, e o sepultamento está previsto para ocorrer nesta sexta-feira, 18, no cemitério do Bom Jardim, zona rural da capital.

Jardielson Silva Costa e Dalvis Costa foram mortos na Estrada de Santana

Duplo homicídio

Na noite de quarta-feira aconteceu um duplo homicídio na Estrada de Santana, área da Cidade Olímpica. Segundo a polícia, o crime foi praticado por faccionados. As vítimas foram Jardeilson Silva Costa, de 22 anos, e Dalvis Costa, de 32 anos, ambos eram cunhados e residiam na localidade. Jardeilson, segundo a polícia, tinha um mandado de prisão por roubo.

A polícia também informou que as vítimas estavam voltando do serviço quando foram abordadas por integrantes de uma facção criminosa, que tem como chefe foragidos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Jardeilson Silva e Dalvis Costa foram baleados, inclusive nas costas, e morreram ainda no local. Os criminosos fugiram em um veículo prata.

Na manhã de ontem, policiais militares realizaram um cerco policial nas áreas da Cidade Operária e Cidade Olímpica, coordenado pelo tenente-coronel Marcelo e coronel Aritanã Lisboa, e conseguiram prender quatro acusados desse crime. Os detidos foram identificados como Domilson Alves Matos, Aurio Costa Abreu e os foragidos de Pedrinhas, Wesley dos Santos Neves e João Vitor Neves Barbosa, que tinham sido beneficiados com a saída temporária do Dia das Mães e não retornaram ao presídio.

Com os criminosos, a polícia apreendeu uma submetralhadora, dois revólveres, três coletes balísticos e 19 munições de calibres diversos. Os presos foram apresentados na sede da SHPP, na Beira-Mar. O delegado George Marques, da SHPP, disse que esse crime foi praticado por mais de cinco faccionados e estavam praticando roubos na localidade e os alvos eram os transeuntes.

Mais ocorrência

No interior do estado, na manhã de ontem foi registrado um assassinato e duas tentativas de homicídio no município de Santa Quitéria. A polícia informou que quatro homens não identificados mataram a tiros Vanderlei Alves Lopes, o Paca. Em seguida, os criminosos perseguiram e balearam Edmilson Soares, o Bebê, e Reginaldo Alves Viana, nas proximidades da sede de um partido político.

Os dois baleados foram levados para um hospital, em Parnaíba, no Piauí, e correm risco de morte. O superintendente da Polícia Civil do Interior, Guilherme Sousa, declarou à Rádio Mirante AM que policiais militares e civis estão realizando rondas na localidade visando prender os acusados. A motivação desse crime não foi revelada.

Presidiário

O secretário de Segurança Pública, delegado Jefferson Portela, afirmou, em entrevista para a Radio Mirante AM, ontem, que mais de 50% dos casos de assassinato e roubo a instituições financeiras são coordenadas por presidiários e faccionados. Segundo ele, os custodiados conseguem passar ordem aos seus comandados, que estão fora da cadeia, por meio de ligações de celulares e cartas. “O presidiário precisa ser isolado. O integrante de facção criminosa precisa ter uma pena mais severa. Existem países que tem prisão perpétua e o interno para pedir a revisão do processo deve ficar preso, pelo menos, 25 anos”, disse Portela.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte