Esporte | Ouro

Maranhense é ouro no Circuito Amazonense de Wrestling

A atleta Jenny Chaves, 21 anos, viajou em setembro para Manaus (AM) para fazer um curso de aperfeiçoamento em Olympic Wrestling (Luta Olímpica)
12/10/2019
Maranhense é ouro no Circuito Amazonense de WrestlingJenny Chaves trabalha para a divulgação do Wrestling no Maranhão (Divulgação)

São Luís - A atleta maranhense Jenny Chaves, 21 anos, viajou em setembro para Manaus (AM) para fazer um curso de aperfeiçoamento em Olympic Wrestling (Luta Olímpica), mas voltou de lá com quatro medalhas: duas de ouro e uma de bronze, no Manaus International Open IBJJF Jiu-Jitsu Championship, disputado nos dias 28 e 29 e uma de ouro no Circuito Amazonense de Wrestling, disputada dia 21.

O Circuito Amazonense de Wrestling foi realizado na quadra de lutas da Vila Olímpica de Manaus, Armando Jimenez, no bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste de Manaus e reuniu mais de 100 atletas. “Já pratico Jiu-Jitsu desde crian­ça, mas me interessei em praticar Wrestling e fui fazer um curso de aperfeiçoamento na Amazonas Clube de Lutas, do professor Anderson, durante um mês e aproveitei que estava lá e disputei a competição. Com o treinamento, con­segui conquistar a medalha de ouro no Circuito Amazonense de Wrestling na categoria até 62Kg”, disse Jenny Chaves.

Já o Manaus International Open IBJJF Jiu-Jitsu Championship 2019, foi disputado na Arena Poliesportiva Amadeu Teixeira, na Rua Loris Cordovil Flores, Manaus (AM) e reuniu cerca 800 atletas. “Em 2017 já havia sido campeã e este ano com as técnicas que aprendi de Wrestling consegui conquistar ouro no peso leve e livre sem quimono, pois melhorou meu combate de pernas. Na categoria com quimono já estava muito cansada, pois a luta sem quimono exige mais esforço físico, pois não temos mais dificuldade de aplicar a pegada, assim como no Wrestling. Me senti mal e não disputei nem categoria livre com quimono”, explicou Jenny Chaves.

A paixão de Jenny Chaves pelo Wrestling é tão grande que ela está ajudando o seu pai, Sandro Soares, presidente da Federação Maranhense de Wrestling (FMW), a difundir o esporte no Maranhão dando aulas de graça. “Durante o curso que fiz em Manaus pude treinar ao lado do amazonense Kenedy Pedrosa, oito vezes campeão brasileiro de Wrestling e que fará intercâmbio no Irã este mês, e de David William cinco vezes campeão brasileiro de Greco-Romano e prata nos Jogos Pan-Americanos do Peru, David William. Com a experiência que adquiro lá fora posso passar novas técnicas para meus alunos e fortalecer o esporte aqui no Maranhão”, destacou.

Luta Olímpica nos Jogos Olímpicos

A Luta Olímpica ou Olympic Wrestling ou simplesmente Wrestling é disputada desde o ano 704 a.C. nos Jogos Olímpicos da Antiguidade e ao lado da maratona possui o posto de esporte mais antigo da humanidade. Nos Jogos Olímpicos da era moderna estreou em 1896 e figura desde a edição de St. Louis em 1904, nos Estados Unidos. Já o wrestling feminino, ou estilo livre feminino, estreou em 2004, nos Jogos Olímpicos de Atenas. A Luta Olímpica atualmente é dividida em três estilos: Greco-romano, Livre masculino e Luta feminina. Os três estão presentes no cronograma olímpico com seis categorias de peso cada. No total serão distribuídas 72 medalhas na edição dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Cada estilo possui ainda duas categorias não olímpicas.

Objetivo

O objetivo é comum aos três estilos, imobilizar o oponente com as costas para o solo, o chamado encostamento. Esta ação encerra imediatamente a luta. Outras palavras como Touché e Pin também são utilizadas para denominar o golpe. Caso nenhum dos dois atletas consiga executar o golpe que encerra a luta, a decisão será feita de acordo com a pontuação acumulada ao longo dos dois rounds de três minutos. Nos três estilos não é permitido realizar nenhum tipo de movimento contra as articulações do adversário que cause dano a integridade física dos atletas Também é proibida a pegada de pescoço com as duas mãos.

Estilo greco-romano

No estilo greco-romano, os atletas só podem utilizar tronco e braços para defender e atacar. Se um dos adversários conseguir abrir uma margem de 8 pontos durante a luta ele é considerado vencedor por superioridade técnica. As categorias olímpicas são até 60kg, até 67kg, até 77kg, até 87kg, até 97kg e até 130kg. Já as não olímpicas são: até 55kg, até 63kg, até 72kg, até 82kg.

Estilo livre

No estilo livre masculino é permitido o uso das pernas para defender e atacar. Se um dos atletas conseguir abrir vantagem de 10 pontos, ele será declarado vencedor por superioridade técnica. As categorias olímpicas são 57Kg, 65Kg, 74Kg, 86kg, 97Kg e 125Kg. As categorias não olímpicas são 61kg, até 70kg, até 79kg, até 92kg.

Wrestling feminino

A luta feminina é equivalente ao estilo livre masculino. Logo, o uso das pernas para defender e atacar é permitido. É proibido fazer pegadas no cabelo e na altura dos seios. É o único estilo disputado por mulheres e entrou no cronograma olímpico na edição de 2004, em Atenas. As categorias olímpicas são até 50kg, até 53kg, até 57kg, até 62kg, até 68kg e até 76kg. As categorias não olímpicas são até 55kg, até 59kg, até 65kg, até 72kg.

Não Olímpico

A luta de praia ou Beach Wrestling é a versão para as areias da Luta Olímpica tradicional. A disputa acontece em um círculo delimitado na areia onde o objetivo é derrubar o adversário ou retirá-lo para fora da área de lutas durante um único round de dois minutos. É permitido encostar as mãos e os joelhos na areia quando em ataque ou defesa de um golpe. Não há luta no solo.

De acordo com as regras da Confederação Brasileira de Lutas Associadas (CBLA), o participante que somar três pontos é declarado vencedor. Confira a pontuação de cada golpe.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte