Política | Prisão

Polícia Civil prende mulher de acusado de matar Marielle Franco

Operação Submersus'' cumpre cinco mandados de prisão contra alvos ligados a Ronnie Lessa. Investigadores acreditam que Elaine, mulher do principal suspeito de morte, tenha planejado sumiço de armas usadas no crime
O Globo03/10/2019 às 07h46
Polícia Civil prende mulher de acusado de matar Marielle FrancoFabiano Rocha / Agência O Globo

A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio cumprem, na manhã desta quinta-feira, cinco mandados de prisão contra alvos ligados ao sargento reformado da PM Ronnie Lessa . Alvo de um dos mandados, ele está preso na Penitenciária Federal de Porto Velho, apontado como o assassino da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes. Outros alvos da operação "Submersus" são a própria mulher de Lessa, Elaine de Figueiredo Lessa , e o irmão dela, Bruno Figueiredo , além de dois supostos cúmplices do policial. Ambos já estão presos.

Por determinação do juízo da 19ª Vara Criminal da Capital, também foram expedidos 20 mandados de busca e apreensão , um deles contra um suspeito de integrar o Escritório do Crime , grupo de matadores de aluguel que teria como principais clientes contraventores cariocas. Até 7h35, quatro pessoas já haviam sido presas: Elaine, Bruno, José Márcio Mantovano, o Márcio Gordo e Josinaldo Lucas Freitas, o Djaca.

Elaine foi presa de óculos e casaco jeans por volta de 7h20. Ela foi conduzida até o carro da polícia sem algemas. Vizinhos de condomínio acompanhavam das sacadas a movimentação no local.

A coordenadora do Gaeco, Simone Sibílio, comandou a busca e apreensão no alvo principal: a mulher de Lessa. Ela mora numa casa no condomínio Vivendas da Barra, no número 3.200 na Avenida Sernambetiba, na Barra da Tijuca, ao lado de onde ela vivia antes com o marido.

O condomínio para onde Elaine se mudou, há cerca de três meses, é ao lado de onde fica a casa do presidente Jair Bolsonaro. No novo endereço, só há casas. A dela é de número 57. O síndico do condomínio não quis se identificar, mas disse que já sabia que ela era "a mulher do homem que matou Marielle". A residência de Elaine ocupa apenas um andar, mas é de alto padrão.

As buscas na casa da mulher de Lessa começaram às 5h40m e ainda não terminaram. Os policiais estão revistando o local em busca de documentos e armas, pois Elaine tem CR de colecionadora de armas e, segundo investigadores, também atira.

A Delegacia de Homicídios da Capital (DH) e o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) acreditam que Elaine foi quem comandou a ação para dar sumiço às armas do marido para apagar qualquer tipo de prova que pudesse incriminá-lo . Acredita-se que uma submetralhadora HK-MP5 , que teria sido usada na execução da parlamentar , tenha sido jogada no mar da Barra da Tijuca , próximo às Ilhas Tijucas . A mulher de Lessa teria escolhido pessoas da confiança de Lessa e dela própria para a empreitada criminosa. Um dos que ajudaram a eliminar provas, de acordo com as investigações, foi o irmão dela, Bruno Figueiredo. Além dele, também participaram Josinaldo Lucas Freitas , o Djaca, e Márcio Gordo.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte