O País | Ataques

Em onda de violência, Ceará registra ao menos 15 ataques desde sábado

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS-CE), seis suspeitos foram presos e um menor de idade foi apreendido
Estadão Conteúdo24/09/2019 às 10h00
Em onda de violência, Ceará registra ao menos 15 ataques desde sábadoA frota de ônibus circula com a presença de policiais militares. (Foto: Marina Alves/TV Verdes Mares)

CEARÁ - Uma onda de violência atinge o Ceará desde o último fim de semana. Do sábado, dia 21, até esta segunda-feira, 23, foram ao menos 15 ataques a ônibus, carros e caminhões na região metropolitana de Fortaleza. Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS-CE), seis suspeitos foram presos e um menor de idade foi apreendido.

A secretaria informou que para garantir a segurança aos motoristas, cobradores e passageiros de ônibus, a frota circula com a presença de policiais militares no interior dos coletivos

O governo do Ceará atribui os ataques a uma reação ao enfrentamento ao crime organizado no Estado. Nas redes sociais, o governador Camilo Santana (PT) afirmou que "a possibilidade do retorno às regalias nos presídios é zero" e informou que reuniu a cúpula da segurança pública para tratar dos atos criminosos.

"Trata-se de uma clara reação dos bandidos ao forte enfrentamento ao crime organizado que temos feito, dentro e fora das prisões cearenses, cortando comunicação, isolando e transferindo chefes criminosos, punindo de forma rigorosa atos de indisciplina e acabando com todo e qualquer tipo de regalia nos presídios", escreveu o governador. "Não recuaremos em absolutamente nada nas medidas que foram tomadas até aqui."

Para combater a onda de violência no Ceará, a SSPDS informou que a Polícia Civil e a Polícia Militar reforçaram o contingente, com o retorno às atividades de agentes que estavam de férias e a suspensão de cursos para os que tinham aulas. As investigações são coordenadas pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco).

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte