Alternativo | Empoderamento

Mostra Sesc de Hip Hop apresenta a força e talento da mulher

Evento ocorre até sexta-feira (20) com as presenças de convidadas do Rio de Janeiro, São Paulo e Piauí
17/09/2019 às 11h08
Mostra Sesc de Hip Hop apresenta a força e talento da mulher Divulgação

São Luís - O universo Hip Hop, até pouco tempo predominantemente masculino, tem se aberto cada vez mais à atuação das mulheres. Hoje, são muitas as artistas que se apresentam em eventos de rap, breaking e graffiti. E na sexta edição da Mostra Sesc de Hip Hop elas são as estrelas principais do evento que ocorre até sexta-feira (20) com as presenças de convidadas do Rio de Janeiro, São Paulo e Piauí. Na programação, oficinas, rodas de conversas e apresentações que ocorrem em diversos espaços culturais da cidade.

Participam do evento Chermie Ferreira (SP) e as DJs Laís (PI) e Luana Luara (RJ) que ministram as oficinas “Graffiti Queens”, “Introdução à Mixagem” e “Danças Urbanas e discutem “A representatividade feminina na cultura hip hop” em roda de conversa. No último dia de evento, dentre as batalhas o Sesc realiza a Mostra Catarina, destinada apenas a grupos femininos.

Feminismo e arte urbana se cruzam na Oficina Grafitti Queens, ministrada por Chermie Ferreira. Ela é graffiteira, tatuadora e ilustradora. Seus trabalhos expõem a face da mulher e objetiva o reconhecimento da importância da força feminina. Idealizadora do primeiro encontro de graffiti feminino da região Norte, já participou e organizou outros grandes eventos em estados como a Bahia e São Paulo. “A arte não tem gênero. Queremos disseminar que todas as pessoas podem contribuir de alguma forma com essa cultura. Durante a oficina vamos passar algumas técnicas utilizadas para deixar as expressões mais coloridas e atraentes ao público em geral e mostrar o potencial que ela representa para o mundo”, disse a artista.

Black power, maquiagem e um ritmo que exala empoderamento. Exprimindo suas ideias, sentimentos e lutas por meio do hip hop, a DJ Laís iniciou no nesse gênero musical em 2017. A maior parte de seu repertório é composta por sons de mulheres rappers que exaltam a sua luta, como fazem as artistas: Karol Conká, Flora Matos, Taz Mureb, Lívia Cruz, Clara Lima, Gabz, Nicki Minaj e Rap Plus Size.

O break é um dos pilares do Hip Hop. Com movimentos vigorosos, que exigem força e resistência, as mulheres têm desafiado esse estilo predominantemente masculino e conquistado cada vez mais espaço e títulos. Luana Luara é um das grandes B-girls brasileiras. Iniciando sua carreira 10 anos atrás, sua trajetória é marcada por vitórias e defesa da mulher nesse meio, incentivando e inspirando novos talentos.

Programação

OFICINAS – 17 e 18 de setembro (terça e quarta)
14h às 18h – Graffiti Queens (Chermie Ferreira / SP) no Sesc Centro
14h às 18h – Introdução à Mixagem (D´J Laís / PI) no Auditório do Sesc Deodoro
17h às 21h – Danças Urbanas (Luana Luara / RJ) no Ginásio Charles Moritz (Quadra do Sesc Deodoro).

RODA DE CONVERSA – 19 de setembro (quinta)
15h às 17h – “A Representatividade Feminina na Cultura Hip Hop” com Chermie Ferreira/ SP, D´J Laís/ PI, Luana Luara/ RJ e Luciana Correa – Preta Lú/MA no Palacete Gentil Braga (Teatro Aldo Leite).

APRESENTAÇÕES – 19 e 20 de Setembro (quinta e sexta)
19/09 – 18h às 21h – Cypher no Ginásio Charles Moritz (Quadra do Sesc Deodoro)

20/09 – A partir das 17h30 – D’J SET, Street Master, Poesias Marginais – Grupo Contrabando Lírico, Master Girls, Mostra Competitiva Feminina de Grupos e Batalha M´C e Batalhas de All Style na Praça Nauro Mac

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte