Política | Operação Constelação

"Não tenho participação", diz Astro de Ogum após prisão de assessores

Vereador foi ouvido, pagou fiança de dois salários mínimos e deixou a Seic; logo depois, ainda pela manhã, deu entrevista coletiva, na qual explicou sua prisão
Gilberto Léda13/09/2019

O 1º vice-presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Astro de Ogum (PL), reagiu ontem após sua prisão por posse ilegal de arma durante uma operação da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) em sua residência no Olho d’Água.
Os homens da Polícia Civil estiveram no local para cumprir mandados de busca e apreensão e de prisão contra dois assessores do parlamentar - identificados como Raimundo Costa e Raíssa Mendonça -, mas acabaram levando também o vereador após encontrar um revólver na casa.
Astro foi ouvido, pagou fiança de dois salários mínimos e deixou a Seic. Logo depois, ainda pela manhã, deu entrevista coletiva, na qual explicou sua prisão em flagrante.
“O que me trouxe aqui foi o problema da arma achada. Eu tinha uma intimação para vir outro dia aqui, mas como houve o problema da arma, eu vim. Estão fazendo os procedimentos e eu vou ver o resultado”, declarou.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte