Polícia | Julgamento

Acusado da morte de Décio Sá senta no banco dos réus

Jhonathan de Sousa Silva vai ser julgado hoje, 9, pelo assassinato de um interno de Pedrinhas a golpes de ferro; o crime ocorreu em janeiro do ano passado
09/09/2019
Acusado da morte de Décio Sá senta no banco dos réus Jhonathan Silva volta a sentar no banco dos réus nesta segunda-feira, 9 (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - O acusado de assassinar o blogueiro e repórter do O Estado, Décio Sá, Jhonathan de Sousa Silva, vai ser julgado nesta segunda-feira, 9, no Fórum Desembargador Sarney Costa, no Calhau, pela morte do presidiário Alan Kardec Dias Mota. Segundo a polícia, o crime ocorreu durante o banho de sol, no dia 7 de janeiro do ano passado, na Unidade Prisional de Ressocialização São Luís 4, em Pedrinhas.

O julgamento vai ser presidido pelo juiz do 1º Tribunal do Júri da capital, Osmar Gomes. No decorrer da sessão, o magistrado vai ouvir as testemunhas, o acusado e, logo após, será aberto para a defesa e os representantes do Ministério Público fazerem as alegações finais. Somente após esta etapa é que o juiz vai pronunciar a sentença.

Assassinato

A polícia informou que no dia 7 de janeiro do ano passado, Jhonathan Silva feriu o peito de Alan Kardec com um pedaço de ferro, que revelou ter retirado do banheiro da unidade prisional. A vítima foi levada ao Hospital Municipal Socorrão II, localizado na área da Cidade Operária, mas chegou sem vida.

Alan Kardec, de acordo com a polícia, era apontado como fundador de uma facção criminosa na capital. Em janeiro de 2014, ele chegou a ser transferido com outros oito detentos para um presídio federal, em Mato Grosso.

Já Jhonathan Silva cumpre pena pela morte de Décio Sá, que foi assassinado no dia 23 de abril de 2012, na avenida Litorânea. Ele foi condenado em júri popular, em fevereiro de 2014, pelo 1º Tribunal do Júri de São Luís, a 25 anos e três meses de prisão, como sendo o executor do crime.

Mais julgamento

Também hoje, 9, vai ser julgado o policial militar Francisco Silva Lima acusado da morte do pedreiro José Ribamar Vieira Batista, na tarde do dia 31 de outubro de 2011, no bairro Forquilha. A vítima levou vários tiros em plena via pública.

O julgamento do militar começa às 8h30, no salão do 4º Tribunal do Júri de São Luís, no primeiro andar do Fórum Desembargador Sarney Costa, e será presidido pelo magistrado José Ribamar Goulart Heluy Júnior. A sessão estava marcada para ocorrer no dia 12 de junho, mas foi adiada para hoje, 9, a pedido da defesa do réu, o advogado Erivelton Lago.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte