Polícia | Por herança

Madrasta é presa suspeita de matar criança envenenada em Cuiabá

Jaira Gonçalves de Arruda dava doses diárias de veneno para a menina; o objetivo era ficar com a herança da criança de R$800 mil
OESTADOMA.COM09/09/2019 às 12h34
Madrasta é presa suspeita de matar criança envenenada em CuiabáJaira Gonçalves de Arruda foi presa nesta segunda (9). (Divulgação)

CUIABÁ - Uma madrasta foi presa nesta segunda-feira (9), suspeita de matar envenenada, uma criança de 11 anos em Cuiabá. A mulher foi identificada como Jaira Gonçalves de Arruda, de 42 anos. De acordo com a polícia, ela teria cometido o crime para ficar com a herança da menina de R$800 mil.

De acordo coma investigação da Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica), a madrasta dava pequenas doses de um veneno de venda proibida para a criança todos os dias durante dois meses. A menina, identificada como Mirella Poliane Chue de Oliveira, morreu em 14 de junho de 2019 ao dar entrada em um hospital particular.

O crime foi descoberto porque a polícia desconfiava do envenenamento. A operação que investigou o caso foi nomeada de “Branca de Neve”, fazendo referência ao conto de fadas. No início houve a suspeita de que a morte da garota havia sido provocada por meningite, mas no laudo pericial foi detectado um tipo de veneno que provoca intoxicação crônica.

Herança

A vítima possuía uma indenização pela morte da mãe, durante o parto dela em um hospital, por erro médico. Uma parte do dinheiro ficaria em uma conta que deveria ser utilizada pela garota aos 24 anos.

A criança era criada pelo pai e pela madrasta. Jaira Gonçalves era responsável pelos cuidados da menina.

Ainda de acordo com a polícia, a madrasta foi levada para a sede da Deddica, em Cuiabá.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte