PH

Deram pouca atenção

09/09/2019

Incontáveis relatórios, que perambulam há anos por gabinetes em Brasília, demonstram que é pequeno o benefício econômico das queimadas predatórias. Os criminosos obtêm, no máximo, pastagens de baixa produtividade. O processo de desertificação da maior floresta tropical do mundo, cujo solo é ácido, arenoso e impróprio para a agricultura, degrada-se até seis vezes mais rapidamente que o da Mata Atlântica. Estamos, portanto, diante de um cenário alucinadamente imprudente.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte