Política | Queimadas

Maranhão é líder em focos de queimadas no Nordeste, aponta relatório do Imesc

Dados do Instituto Maranhense destacam que o estado apresentou 39,9% dos focos de incêndios registrados no segundo trimestre na Região Nordeste
Ronaldo Rocha, da editoria de Política27/08/2019
Maranhão é líder em focos de queimadas no Nordeste, aponta relatório do ImescImesc mostra que o Maranhão lidera o ranking de focos de queimadas em todos os estados da região Nordeste (De Jesus / O ESTADO)

SÃO LUÍS - Relatório do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) 2019 aponta o estado do Maranhão como líder em focos de queimadas registradas no segundo trimestre deste ano em toda a Região Nordeste.

O relatório destaca que, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), somente no segundo trimestre de 2019 foram registrados um total de 154.811 focos de queimadas no país.

Na Região Nordeste, esse número chegou ao patamar de 17.944 focos. O montante de 39,9% foram registrados no Maranhão.

“Entre os estados com maior quantitativo de focos de queimadas na região nordestina, o Maranhão ocupou o primeiro lugar, com 7.164 focos no segundo trimestre de 2019, seguido pelos estados da Bahia, com o total de 6.189 (34,4%) e o Piauí, com 3.416 (19,03%) focos”, destaca o relatório.

No relatório, o Imesc também acrescenta que, para tentar manter uma análise concisa e permanente dos focos de queimadas no estado, tem classificado, a partir do total de focos, as áreas de risco de queimadas em três grupos: Baixo (para as áreas de baixa incidência de focos de queimadas), Médio (para as áreas de risco moderado a incêndios e alerta para esses municípios) e Alto (para as áreas de maior atenção, com graves alterações ambientais e sociais).

“As queimadas ocorridas no segundo trimestre de 2019, nos meses de abril, maio e junho, tiveram maior ocorrência nas regiões Centro-Sul e Nordeste do estado. Os quantitativos dos focos de queimadas deste trimestre, apresentaram uma redução de 26,78% em relação ao total registrado no mesmo período do ano anterior (9.785 focos)”, completa.

Apesar de os índices pluviométricos terem contribuído para a redução nos valores de focos quando comparado ao ano passado, as precipitações ocorridas na região Centro-Sul do estado apresentaram valores abaixo de 200 mm, o que influenciou no aumento dos focos de queimadas nos municípios de Fernando Falcão, Mirador, Balsas, Barra do Corda e Loreto nas regiões Sul e Sudeste do estado, segundo o relatório.

Focos

“Entre os municípios com maior concentração de focos no estado, no acumulado dos meses de abril, maio e junho destacam-se: Balsas, Mirador, Fernando Falcão, Carolina, Riachão, Grajaú, Loreto, São Félix de Balsas, Alto do Parnaíba e Sambaíba”, destaca o relatório. Nos 10 municípios, a concentração de focos de queimada foi de 5.322 casos.

Já entre os municípios com maior quantitativo de queimadas, cinco possuem em seu território áreas protegidas e reconhecidas como unidades de conservação (UC) e terras indígenas (TIs). Nas Unidades de Conservação, foram contabilizados 1.617 focos, que, em relação a 2018, teve um aumento de 282 registros, já nas Terras Indígenas o total de focos foi 1.394, com aumento em relação a 2018, de 947 registros. Os dados são do Governo do Maranhão.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte