Esporte | Ídolo na Ásia

Destaque na China, maranhense deve defender seleção do país e "ajuda" o Botafogo

Elkeson, ídolo no futebol chinês, deve disputar Eliminatórias da Copa do Mundo e vira "modelo" para parceria entre o Glorioso e a China
Eduardo Lindoso / O Estado14/08/2019 às 17h14
Elkeson parece cada vez mais adaptado ao país asiático

SÃO LUÍS – Em alta no futebol chinês, o atacante maranhense Elkeson parece cada vez mais adaptado ao país asiático. Ídolo no Guangzhou Evergrande e no Shanghai SIPG, onde acumula quatro títulos nacionais, o atacante deve defender a seleção chinesa nas eliminatórias para a próxima Copa do Mundo. Nascido em Coelho Neto, no interior maranhense, o atleta de 30 anos aceitou a proposta feita pela Federação Chinesa de Futebol e vai se naturalizar. Nesta quarta-feira (14), o Botafogo encaminhou uma parceria com o governo chinês, que tem Elkeson como principal “espelho”.

LEIA MAIS

Maranhense se torna o maior campeão do futebol chinês por equipe milionária

Maranhense se torna o jogador mais caro do mundo após transferência na China

Sete anos depois, um maranhense volta a vestir a camisa da Seleção Brasileira

Elkeson desembarcou na China em 2013, após se destacar no Botafogo, e se tornou o primeiro jogador tetracampeão chinês e o único a vencer o campeonato nacional por duas equipes diferentes. Ele venceu o campeonato nacional da China ( Super Liga Chinesa) em 2013, 2014, 2015 e em 2018. Em duas oportunidades ele foi o artilheiro da competição, além de campeão da Liga dos Campeões da AFC de 2012 e 2015. Em 2014, o maranhense conquistou prêmio de Futebolista do Ano na China.

Diante deste sucesso, a China resolveu convidá-lo para se naturalizar, assim como o também brasileiro, Ricardo Goulart, para tentar garantir vaga no Mundial do Catar em 2022. Para um estrangeiro poder solicitar a cidadania chinesa por tempo de residência é preciso viver cinco anos no país, situação que põe os brasileiros em condições de defender o selecionado asiático.

O técnico italiano Marcello Lippi, campeão do mundo no comando da Azzurra em 2006, reassumiu o cargo de treinador na seleção aprova a chegada de reforços estrangeiros e em setembro, quando será disputada a primeira rodada das Eliminatórias Asiáticas para a Copa do Mundo, Elkeson já pode ter sua primeira convocação. O maranhense tem uma passagem pela Seleção Brasileira, em 2011, quando foi convocado por Mano Menezes.

"Negócio da China" por Elkeson

O Botafogo está perto de fechar um acordo internacional para as categorias de base. O time carioca conversa com o governo chinês para a criação de uma parceria baseado na chegada de jogadores e treinadores chineses para se desenvolverem no Alvinegro, o que ainda pode render dinheiro aos cofres do Glorioso. O acordo está encaminhando e o projeto pode começar ainda em 2019.

Chineses durante visita à sede do Botafogo

Segundo reportagem da Band Sport, o governo chinês escolheu o Glorioso pelos bons resultados recentes e por conta de Elkeson, além do histórico do time do Rio de Janeiro, clube que mais cedeu jogadores para a Seleção Brasileira na história das Copas do Mundo.

Elkeson de Oliveira Cardoso, que não tem passagem por nenhuma equipe profissional do Maranhão, e começou sua carreira nas categorias de base do Vitória, da Bahia, se destacou no Botafogo, em 2011. A boa fase no Glorioso o levou para a Seleção Brasileira, e ele se transferiu, em 2012, para o futebol chinês por 5,7 milhões de euros (cerca de R$ 15,6 milhões).

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte