Geral | Grupo Criminoso

Membro do PCC afirma que facção mantinha ''diálogo'' com PT

Declaração foi obtida após grampo realizado na Operação Cravada
O Estado MA09/08/2019 às 17h52
Membro do PCC afirma que facção mantinha ''diálogo'' com PTAlexsandro Roberto Pereira, conhecido como “Elias” (Reprodução)

A Polícia Federal grampeou conversas entre integrantes do PCC em que membros da facção confessam que o grupo mantinha um “diálogo cabuloso com o PT”. O grampo aconteceu no âmbito da Operação Cravada. Além disso, os criminosos fizeram críticas ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

“Com nois já não tem diálogo, não, mano. Se vocês estava tendo diálogo com outros, que tava na frente, com nois já não vai ter diálogo, não. Esse Moro aí, esse cara é um filha da puta, mano. Esse cara aí é um filha da puta mesmo, mano. Ele veio pra atrasar”, diz Alexsandro Roberto Pereira, conhecido como “Elias”.

Após atacar Sergio Moro, o bandido faz comentários elogiosos sobre o suposto “diálogo” que a facção teria com o PT . “Ele começou a atrasar quando foi pra cima do PT. Pra você ver, o PT com nois tinha diálogo. O PT tinha diálogo com nois cabuloso, mano, porque… situação que nem dá pra nois ficar conversando a caminhada aqui pelo telefone, mano. Mas o PT, ele tinha uma linha de diálogo com nois cabulosa, mano”, disse Elias, em conversa com André Luiz de Oliveira, conhecido como “Salim.

Nesta sexta (9) a Polícia Federal deflagrou uma operação em quatro Estados para desarticular o braço financeiro, responsável por organizar esquemas de lavagem de dinheiro, de uma facção criminosa com atuação dentro e fora dos presídios. Segundo a PF, o esquema envolvia integrantes do Primeiro Comando da PCC.

Na última quarta-feira, 7, a Polícia Federal foi às ruas em sete Estados com um efetivo de 180 agentes, para cumprir 30 mandados de prisão. Segundo o último balanço, além de 28 presos, a ação terminou com o bloqueio de 400 contas ligadas ao PCC.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte