Cidades | mortandade

Sardinhas morreram em processo natural, analisa especialista

Segundo o professor Antonio Carlos Leal, a falta de oxigênio não é a causa, mas efeito; sardinhas se deslocam em grandes cardumes e ficam presas nos estuários
Nelson Melo / O Estado07/08/2019

A mortandade de milhares de sardinhas na cidade de Raposa/MA con­tinua repercutindo e sendo objeto de análise para distintos especialistas. Para alguns, os animais morreram devido ao fato de terem migrado para área poluída nos igarapés da região. Mas, para o professor doutor Antonio Carlos Leal de Castro, do Departamento de Oceanografia e Limnologia da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), os peixes não resistiram, em virtude de um processo natural, ao fugir para os estuários.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte